11 de set de 2012

Hana Kimi, uma estória que se reinventa


Em um reino distante, chamado Illrya, um jovem duque chamado Orsino ama a bela Lady Olívia que, no entanto, não retribui os seus sentimentos. Após ser vítima de um trágico naufrágio, e sem recursos para sobreviver, a jovem Viola resolve se disfarçar para trabalhar como garoto de recados do duque Orsino. A confusão está arranjada quando Lady Olívia se apaixona por Cesário (na verdade Viola) e Viola por sua vez se apaixona por seu patrão, Orsino.

Essa divertida comédia romântica, Noite de Reis (Twelfth Night, Or What You Will) surgiu da imaginação de um senhor chamado William Shakespeare, por volta de 1601.

Desde então, e por séculos, a curiosidade e o prazer em ler, ou assistir esta estória nunca se esgotou, e se renova a cada geração.

O famoso mangá shojo Hanazakari no kimitachi e, de Hisaya Nakajo, soube aproveitar muito bem este tema da mudança de gênero, e deu origem a um dos dramas de maior sucesso da TV japonesa, com uma primeira adaptação de 2007, e a segunda de 2011. No entanto, a primeira adaptação do mangá foi produzida pela Comic Productions Co., e veiculada  em Taiwan no ano de 2006. A mais nova versão de Hana Kimi é coreana, produzida pela SBS TV, e intitulada To the Beautiful You.


A versão que ganhou maior fama foi a japonesa de 2007. Com um visual e ritmo que se apega muito fielmente ao mangá, este Hana Kimi parece ser o favorito de quem curtiu os 23 volumes dos quadrinhos originais. E também causou um pouco de espanto e até mesmo uma pequena revolta entre estes admiradores o fato da Fuji TV ter investido em um remake do drama após apenas quatro anos da estréia do primeiro.

Entretanto, para quem não tem preconceitos com remakes, ou não assistiu a primeira versão, vale a pena acompanhar o drama Hana Kimi 2011. Num ritmo um pouco menos frenético, mas sem deixar de lado o humor característico do gênero, esta versão é simplesmente encantadora! Com um elenco afiadíssimo, carismático (e enorme), fica difícil superar esta segunda (e última?) versão nipônica de Hana Kimi.
 
 
Uma comédia romântica que explora com humor irreverente as muitas confusões e desentendimentos que a situação da troca de gênero pode gerar. Apesar da cultura pop japonesa (mangá, animê, drama) muitas vezes expor um preconceito, ou uma visão politicamente incorreta, se preferir, com certas minorias, no caso de Hana Kimi, a meu ver, o tema do homossexualismo foi tratato com muita sensibilidade. Ao contrário de To the Beautiful You, que vilaniza certos personagens desnecessariamente, Hana  Kimi, apesar de toda a caricatura, consegue quebrar muitos preconceitos, o que é muito saudável, considerando-se que o público jovem é o alvo principal deste produto.


Twelfth Night (1996), filme: http://imdb.to/DMCog


Hanazakarino Kimitachihe (2006), ou Hua Yang Shao Nian Shao Nu, 15 episódios, Comic Productions Co., CTS TV. Estrelando Ella Chen, Wu Chun e Jiro Wang.

Hanazakari no kimitachi e (2007), Fuji TV, 12 episódios, com Horikita Maki e Oguri Shun (Rich Man, Poor Woman).


Painter of the Wind (2008), drama histórico, SBS TV, 20 episódios, com Park Shin-yang, Moon Geun-yeong e Ryoo Seung-yong.

A jovem Shin Yun-bok se disfarça de homem para entrar na Academia Dohwaseo, e estudar artes plásticas com o famoso artista Kim Hong-do.


You’re Beautiful (2009), SBS TV, com Jang Geun-seok, Park Sin-hye (Cyrano Agency).

Go-mi é uma jovem órfã, que foi criada em um convento. Quando seu irmão gêmeo que é músico desaparece, ela se faz passar por ele como novo membro de uma boy band de sucesso. Assim, Go-mi terá a árdua tarefa de convencer os colegas de que é um rapaz, e de que tem talento para fazer parte da banda.

Um drama voltado essencialmente ao público adolescente, com produção apurada, bom elenco, mas com um dos piores roteiros do gênero.


Sungkyungwan Scandal (2010), drama histórico, romance, KBS2 TV, 20 episódios, com Micky Yoochun (Rooftop Prince), Park Min-yeong, Song Joong-ki (Nice Guy), Yoo Ah-in.

Esta é a estória de Yunhee, uma jovem que depende apenas de si mesma para sobreviver em um mundo que não dá oportunidades justas às mulheres, e de três homens que ela irá encontrar: o intelectual arrogante Seonjun, o rebelde  Jaesin e o cínico Yongha. Para estudar na escola Sungkyunkwan, Yunhee se disfarça de homem e, junto de seus novos amigos, irá ajudar a mudar o destino de seu país.

Hanazakari no kimitachi e (2011), Fuji TV, 11 episódios, com Maeda Atsuko, Nakamura Aoi (Summer Rescue), Miura Shohei.


Ma Boy (2012), Tooniverse, 3 episódios, com Sun Woong, Kim So-hyeon-I, Min-hoo.

Um drama que tinha um potencial incrível, infelizmente desperdiçado por uma produção preguiçosa e pouco inovadora. Mesmo assim, vale fazer uma mini-maratona (é melhor ver tudo de uma vez, ou a tentação em abandonar pela metade será grande). Diferente das muitas estórias de garotas que se transvestem de garotos, em Ma Boy é um jovem que se veste de garota. Hyeon-woo sonha em ser cantor e bailarino de um grupo pop, e para se sustentar enquanto o sucesso não vem, ele é obrigado pelo seu agente a se vestir de mulher e posar de modelo fotográfico. No colégio interno, disfarçado de Irene, ele acaba dividindo o quarto com uma nova aluna, Geu-rim, que por sua vez, entra na escola só para poder ficar mais perto do seu ídolo, o cantor Tae-joon.
 


To the Beautiful You (2012), SBS TV, 16 episódios, com Choi Seol-ri, Minho e Lee Hyun-woo.

A versão ‘hallyu’ de Hana Kimi transforma a estória de uma jovem que se disfarça de homem para poder entrar na mesma escola de seu herói esportivo, numa superprodução, que enche os olhos mais pelo brilho do que pela originalidade ou inovação. No entanto, é mais um produto de qualidade indiscutível da SBS TV, e é quase impossível não se envolver com este drama, mesmo para quem já assistiu alguma das versões anteriores da estória. To the Beautiful You tem seus bons momentos, e tem crescido muito ao longo da temporada. Os personagens secundários de To the Beautiful You não são tão interessantes quanto os de Hana Kimi e, por isso, resta uma responsabilidade muito maior para o casal principal de conquistar e manter o interesse do espectador. Não deixe de assistir To the Beautiful You, mas fica o aviso e a recomendação para dar uma oportunidade a Hana Kimi 2011, que tem uma dose satisfatória de romance, e o bônus (inestimável) da irreverência e questionamentos que o gênero proporciona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...