2 de jul de 2018

My Husband Oh Jak-doo (drama, 2018)




País: Coréia do Sul
Gênero: Romance
Duração: 24 episódios
Produção: MBC TV
Direção: Baek Ho-min
Roteiro: Yoo Yoon-kyung

Elenco: Uee, Kim Kang-woo, Jung Sang-hoon, Han Sun-hwa

Resumo

Uma produtora de TV sobe uma montanha para filmar um documentário e volta casada com um caipira que irá mudar seus conceitos de vida.

Comentário

Uma comédia romântica adulta como há muito eu não via, que reflete com seriedade, ainda que sem perder o bom humor, sobre as alegrias e tristezas da vida em casal.

Quando foi anunciado o elenco do drama, fiquei chateada por meu querido Kim Kang-woo, grande ator, ter como par romântico a ex-cantora pop Uee, cuja fama está muito acima de suas atuações irregulares. Felizmente meu temor foi afastado já no primeiro episódio, ao ver que eles formavam um casal simplesmente encantador. Se Uee e Kim Kang-woo formam um casal tão improvável quanto o da ficção, é visível seu prazer em interpretar os personagens, e viver intensamente esta bonita estória de amor.

Han Seung-joo (Uee, High Society, Manhole) é uma produtora de programas de variedade para a TV, mas seu sonho é ser uma respeitada documentarista. Quando surge a proposta de trabalhar em um documentário sobre um artesão que vive isolado no interior, ela agarra a oportunidade com unhas e dentes. Han Seung-joo trabalha incansavelmente desde muito jovem, e com muito sacrifício pagou seus estudos e comprou sua casa. Ela nunca pôde depender da mãe viúva e do irmão mais jovem, muito pelo contrário, os dois se aproveitam sem vergonha de suas economias. Apesar de seu espírito independente, Seung-joo sente certa inveja de suas duas melhores amigas, ambas casadas, por terem apoio financeiro e emocional de seus maridos nos momentos difíceis. Quando Seung-joo começa a receber ameaças de morte e a ser perseguida por um estranho, ela entra em pânico, mas não tem a quem a proteja do perigo.

Oh Hyuk aprendeu com o avô a produzir artesanalmente o Gayageum, um instrumento musical de cordas típico de seu país. Os gayageum fabricados por Oh Hyuk, que levam o selo de qualidade de seu avô são tão apreciados quanto cobiçados pelos músicos do país. Uma das poucas instrumentistas a ter o privilégio de tocar um gayageum fabricado por Oh Hyuk é Jang Eu-jo (Han Sun-hwa, Radiant Office), que foi seu primeiro amor de infância. Com a morte do avô, Oh Hyuk isolou-se do mundo e nunca mais foi visto em pessoa.
Tendo em mãos apenas o endereço do vilarejo mais próximo de onde o recluso artesão estaria vivendo, Han Seung-joo tenta encontrá-lo para poder produzir o documentário de seus sonhos. Ao subir a montanha, ela encontra apenas uma cabana rústica, e seu morador, Oh Jak-doo (Kim Kang-woo, de Goodbye Mr. Black, Marriage Blue), um caipira que vive de colher ervas nativas, que vende no mercado público local. Decepcionada, ela volta a Seul, tentando planejar uma nova estratégia para encontrar Oh Hyuk. Quando Seung-joo reencontra por acaso o caipira Oh Jak-doo, convence o rapaz a forjar um casamento e ir morar com ela para protegê-la do suspeito que a está ameaçando. Uma relação que começa com um contrato formal acaba se transformando em uma extraordinária estória de amor.

A roteirista Yoo Yoon-kyung (Mama, My Bittersweet Life), famosa por seus melodramas lacrimosos, em My Husband Oh Jak-doo revela seu talento para a comédia, com diálogos sensíveis, inteligentes e personagens bem desenvolvidos emocionalmente. Se há uma coisa frustrante são os dramas em que o casal protagonista não conversa, ficando no flerte vazio e na provocação. O que mais me agradou neste drama foi exatamente não só a quantidade como o conteúdo do diálogo entre os protagonistas. Han Seung-joo e Oh Jak-doo tem um interesse e uma curiosidade verdadeiros sobre os sentimentos e desejos um do outro, e é um verdadeiro bálsamo ouvir suas confidências de amor. My Husband Oh Jak-doo nos ensina o quão importante é o respeito e a cumplicidade para que um relacionamento seja satisfatório e duradouro.

Enfim, um belo drama, que, é verdade, ganharia em dinamismo com menos episódios (16 a 20 bastariam), e uma direção menos burocrática. Mas com personagens secundários muito simpáticos, - as queridas amigas de Han Seung-joo, as divertidíssimas ‘tias’ de Oh Jak-doo e o CEO Eric Jo (Jung Sang-hoon, que rouba a cena), - e um casal protagonista adorável, My Husband Oh Jak-doo é, sem dúvida, uma das melhores produções do ano.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...