20 de jul de 2017

Fight My Way (drama, 2017)




País: Coréia do Sul
Gênero: Drama, Romance, Comédia
Duração: 16 episódios
Produção: KBS2 TV

Direção: Lee Na-jeong, Kim Dong-hwi
Roteiro: Lim Sang-choon

Elenco: Kim Ji-won, Park Seo-joon, Song Ha-yoon, Ahn Jae-hong, Kim Seong-oh, Jin Hee-kyeong, Jo Eun-yoo, Son Byung-ho, Choi Woo-sik, Kwak Dong-hyeon, Pyo Ye-jin, Kwak Si-yang, Lee Jung-eun, Jeon Bae-su, Kim Gun-woo, Lee Elijah.

Resumo

Quatro amigos de infância batalham para sobreviver em empregos medíocres, sem deixar de sonhar com um futuro melhor...

Comentário

Onde está a tvN quando precisamos de dramas que contem estórias de gente como a gente? Se o caro leitor, como eu, curtiu a franquia “Answer Me...” deve sentir falta de dramas que retratem a vida como ela é, mas com aquela pitada de humor e irreverência, para não deixar o tema tão pesado, não é mesmo? Sendo assim, foi um grande prazer assistir este belo drama chamado Fight My Way, que revela mais um novo roteirista, Lim Sang-choon (Be Proud, Beck´s Back). O drama é dirigido pela jovem PD Lee Na-jeong (Oh My Venus, Nice Guy), em parceria com Kim Dong-hwi (A World Without Simpaty).

Com uma fusão muito inteligente de comédia romântica e drama social, Fight My Way conta a estória de dois casais de amigos, Ko Dong-man e Choi Ae-ra, Baek Seol-hee e Kim Joo-man. Os quatro se conheceram na infância, numa pequena cidade litorânea e, adultos, foram morar juntos na capital. Num condomínio antigo de subúrbio, eles compartilham as alegrias e tristezas de uma vida independente, mas de muitos sacrifícios.     


Ko Dong-man (Park Seo-joon, de The Beauty Inside, Witch´s Love) queria muito ser lutador de taekwondo, mas, ao perder a luta que o alçaria à carreira olímpica, desistiu do sonho de ser um atleta de elite. Sem formação universitária, ele tem um emprego nada glamouroso, numa empresa de dedetização. 


Sua melhor amiga, Choi Ae-ra (Kim Ji-won, de Descendants of the Sun, The Heirs), também não teve sorte, e o desejo de ser uma apresentadora de TV nunca foi realizado. Ae-ra trabalha na recepção de um shopping center, e, apesar do salário minguado, ainda ajuda o namorado Kim Moo-gi (Kwak Dong-hyeon, de Moonlight Drawn By Clowds), que não trabalha, com a desculpa de estar estudando para um concurso público. O ator Kwak Dong-hyeon faz uma participação especial muito rápida, mas divertidíssima. O pai de Ae-ra, Choi Chun-gab (Jeon Bae-su, Forest of Secrets), pescador, dono de um restaurante modesto, foi abandonado pela mulher, e criou a filha sozinho.


Baek Seol-hee e Kim Joo-man namoram firme há seis anos. Apesar de Seol-hee morar com a amiga Ae-ra, passa mais tempo no apartamento de Joo-man, num relacionamento praticamente de casados. Aliás, o sonho de Seol-hee (Song Ha-yoon, de The Whistleblower, Sweden Laundry), funcionária de telemarketing, é ser mãe e dona-de-casa. Um desejo que pode parecer modesto, mas é o direito de cada um escolher seu caminho para a felicidade. Joo-man (Ahn Jae-hong, de Answer Me 1988), por outro lado, é gerente de uma empresa de vendas online, e trabalha duro para ser promovido, e poder ter um salário mais digno. A mãe de Seol-hee, Geum-bok (a sempre simpática Lee Jung-eun, de Oh My Ghostess) gosta do genro, mas sabe que a família dele não trata sua filha com o devido respeito. Uma jovem aprendiz, Jang Ye-jin (Pyo Ye-jin), começa a assediar Joo-man, e Seol-hee, que trabalha na mesma empresa, percebe que o noivo não se esforça o bastante para rejeitá-la. A partir daí o longo relacionamento do casal, que parecia tão sólido, entra em crise.


Hwang Jang-ho (Kim Seong-oh, de Warm and Cozy), ex-treinador de Ko Dong-man, o convida para assistir uma luta de MMA. Dong-man fica chocado ao ver que o astro da luta é Kim Tak-soo (Kim Gun-woo), seu antigo rival no ringue. Ao ver a fama que Tak-soo alcançou, Dong-man se dá conta de que perdeu anos lamentando os erros do passado, enquanto poderia estar lutando, e ganhando muito dinheiro com isso! Sou fã do ator Kim Seong-oh, que está realmente fantástico no papel do treinador/cozinheiro que é o maior entusiasta do discípulo Dong-man. Son Byeong-ho também rouba a cena no papel de Ko Hyeong-sik, o pai severo de Dong-man.


Enquanto isso, Ae-ra é cortejada por um ex-colega de escola de Joo-man, o médico Park Moo-bin (participação especial de Choi Woo-sik, de Train to Busan). O novo interesse romântico de Ae-ra desperta o ciúmes de Dong-man, que finalmente se dá conta de seus verdadeiros sentimentos por ela. Mas a coisa esquenta mesmo quando a ex-namorada de Dong-man, Park Hye-ran (Lee Elijah, The Return of Hwang Geum-bok), recém-divorciada, quer reatar com o rapaz.


Hwang Bok-hee (Jin Hee-kyeong, de Mom) é a nova dona do condomínio, uma mulher bonita, mas misteriosa, que está sempre de olho nas idas e vindas de Ae-ra e sua turma. O filho da Sra. Bok-hee, Kim Nam-il (participação especial de Kwak Si-yang, de Chicago Tipewriter, Second to Last Love), estranhamente, também gosta de implicar com Ae-ra, cada vez que cruza com ela.


É divertido acompanhar a evolução do casal Ae-ra e Dong-man, de companheiros de travessuras na infância, a jovens adultos que apoiam um ao outro nos bons e maus momentos, até, inevitavelmente, se apaixonarem. E foi muito engenhosa a tática do roteirista de apresentar os episódios mais memoráveis da infância do casal, em flashbacks, no final de cada episódio. 


Depois de presenciar a atuação impactante de Park Seo-joon (e a transformação sensacional de seu físico), fica combinado que ele deve se dedicar exclusivamente a papeis pouco convencionais, e dar adeus aos herdeiros mimados, ou executivos esnobes.


O casal Seol-hee e Joo-man também conquistou a simpatia da audiência, pela abordagem delicada e realista dada ao seu relacionamento, reforçada pelas belíssimas atuações de Song Ha-yoon e Ahn Jae-hong (que tem uma carreira mais prolífica no cinema).


Fight My Way é uma tragicomédia suburbana, com personagens encantadores, que vivem sua realidade trivial como se estivessem dentro de um grande épico...

11 de jul de 2017

Lookout (drama, 2017)




País: Coréia do Sul
Gênero: Ação, Policial, Drama
Duração: 32 (episódios)
Produção: MBC TV

Direção: Son Hyeong-seok, Park Seung-woo
Roteiro: Kim Soo-eun

Elenco: Kim Young-kwang, Lee Si-young, Kim Tae-hoon, Kim Seul-gi, Key, Choi Moo-seong, Kim Sang-ho, Park Joo-hyeong, Kim Seon-young, Jeong Seok-young, Jeon Mi-seon, Song Seon-mi, Park Solomon, Kim Jung-young, Ham Na-yeong.

Resumo

“A dor da perda de um familiar é indescritível e deixa uma marca indelével em qualquer ser humano, e, se a vingança é um prato amargo, ao menos a justiça pode amenizar um pouco o vazio deixado pela ausência dos entes queridos”.

Comentário

Que momento fantástico vive a TV coreana, com esta nova geração de roteiristas talentosos e irreverentes, que estão conseguindo reescrever (literalmente) o caminho dos nossos tão amados dramas diários.

Lookout (ou The Guardian) é apenas mais uma das belas surpresas da temporada, ao lado de títulos como Tunnel, Suspicious Partner, ou Forest of Secrets. O gênero policial (englobando aqui ação, drama legal e suspense) nunca foi o ponto forte dos dramas coreanos, o que é até estranho já que no cinema esta temática sempre fez muito sucesso. Felizmente, com a renovação das equipes de escritores, os dramas policiais vêm ganhando em qualidade e, consequentemente, alcançando um maior espaço na grade de programação dos diversos canais de TV.

O PD Son Hyeong-seok (When It´s at Night, Two Weeks), com sua boa experiência em thrillers, dá a sustentação perfeita ao roteiro ágil e ao mesmo tempo dramático da roteirista novata Kim Soo-eun. Lookout é, em essência, um drama de ação, mas este diretor sabe privilegiar o trabalho dos atores, dando ênfase ao lado mais humano dos personagens.

Lookout é uma estória de embate moral entre a lei (os promotores e os políticos) e a ordem (a polícia). Se ambos têm a função de proteger o cidadão, nem sempre os nobres juramentos destes profissionais são cumpridos. E é nestas circunstâncias que aflora o desejo de justiça feita com as próprias mãos... Lee Si-young (Valid Love) é a detetive de polícia Jo Soo-ji, uma profissional que se dedica com fervor a combater o crime, mesmo que para isso tenha de negligenciar seus deveres de mãe de uma menina de sete anos. Jo Soo-ji é mãe solteira, e apesar de adorar sua filha Yoo-na (Ham Na-yeong), é obrigada a deixá-la a maior parte do tempo na companhia da avó (Kim Jung-young, de Queen for Seven Days). Sua superior, a chefe de esquadrão Lee Soon-ae (Kim Sun-young, de Shopping King Louie, Answer Me 1988) vive uma situação semelhante, tendo de criar sozinha uma filha adolescente, que se ressente com a ausência da mãe. Apesar do sacrifício de enfrentar a criminalidade todos os dias, ganhar pouco, e mal ver as filhas, as policiais parecem sentir muito orgulho do seu trabalho. Mas, infelizmente, uma tragédia familiar transforma a vida de Jo Soo-ji em um grande pesadelo. Quando vi o drama, não fazia ideia do que iria acontecer, portanto não sei se é adequado revelar os fatos que levam Soo-ji a tornar-se uma foragida da justiça, sem estragar muito do impacto dos eventos. Basta dizer que a detetive é apresentada a um grupo secreto que busca vingar crimes cometidos contra seus familiares, e que não foram devidamente punidos pela justiça. O tal grupo secreto foi reunido por um líder misterioso, cuja identidade é ignorada, embora todos sigam fielmente as suas ordens. Passa-se um ano da desaparição de Soo-ji, e ela continua no ostracismo, trabalhando com uma dupla de hackers, Seo Bo-mi e Kong Kyeong-soo. A princípio, parece que os jovens vivem escondidos por cometerem crimes cibernéticos, mas não é bem assim. Soo-ji e Kyeong-soo compartilham um apartamento em um prédio abandonado, e se comunicam com Bo-mi por câmeras de monitoramento, embora apenas ela possa vê-los, enquanto que eles apenas a ouvem. Seo Bo-mi (Kim Seul-gi, de Splash Splash Love, Oh My Ghostess) vive trancada num apartamento, em local conhecido apenas pelo líder misterioso. Logo ficamos sabendo que a família de Bo-mi foi morta brutalmente durante um assalto, alguns anos atrás, e ela se isolou do mundo, em parte devido ao trauma, mas mais por um motivo que será revelado mais adiante. Tudo que Bo-mi deseja é punir os assassinos de seus pais e sua irmã mais velha. Kong Kyeong-soo (Key, de Drinking Solo, membro do grupo de kpop SHINee) tem uma personalidade alegre, e uma autoconfiança invejável de suas habilidades de espião virtual. No entanto, seu ar despreocupado esconde o desespero pelo desaparecimento misterioso de sua mãe, e sua maior motivação é encontrá-la algum dia, sã e salva.

Aos poucos a pequena equipe percebe que, por trás de uma série de missões que eles vão cumprindo, paira a sombra de uma grande autoridade, o promotor chefe Yoon Seung-ho (Choi Moo-sung, de Heatless City, Answer Me 1988). Soo-ji também tem como alvo de sua vingança o promotor Yoon, e seu filho adolescente, Si-wan (Park Solomon, de Doctors). Como ex-policial, ela começa a ficar inquieta por não conhecer a identidade, ou muito menos as motivações da pessoa que está liderando suas ações. Uma noite, Soo-ji segue o colega Kyeong-soo até uma igreja, e começa a suspeitar que o belo padre Lee Kwan-woo (Shin Dong-wook, de Soulmates) tem alguma ligação com o líder misterioso. Só um parêntese para felicitar a volta do maravilhoso Shin Dong-wook às telinhas, após sete anos de uma ausência muito sentida pelos fãs.

Enquanto isso, Soo-ji tenta evitar ser capturada pelos próprios colegas policiais, e, especialmente pelo promotor encarregado de seu caso, Jang Do-han (Kim Young-kwang). Jang Do-han é um jovem promotor cuja carreira teve uma ascensão meteórica, em parte por sua inteligência, mas muito mais por sua capacidade inesgotável de puxar o saco dos superiores. No começo ele adula o promotor Oh Kwang-ho (Kim Sang-ho, de TEN, Missing Nine), mas seu objetivo malicioso é roubar sua vaga de assistente do promotor chefe Yoon.

A única pessoa que está ao lado da detetive Soo-ji é o promotor Kim Eun-joong (o “Sr. Covinhas” Kim Tae-hoon, de Fantastic), amigo de longa data, um profissional ético, entre tantos corruptos que o cercam. Pena que a inflexibilidade de Kim Eun-joong nem sempre funcione a seu favor...

O bom deste drama é que nenhum personagem é desperdiçado, - o elenco é relativamente grande, mas igualmente talentoso. Lee Si-young está muito a vontade (como era de se esperar para quem conhece seu perfil profissional e pessoal) no papel da policial durona com os bandidos, mas amável com a família e amigos. Jo Soo-ji despertou em mim uma simpatia enorme – sua vingança não é cega, ela se preocupa muito com as consequências de suas ações sobre a vida dos outros, e tem consciência de que, eventualmente, terá de pagar por seus atos ilegais. E o mais comovente é como ela tenta se colocar na pele dos colegas, e empatiza com o sofrimento deles, mesmo que em parte tenha motivos para sentir o oposto, especialmente sobre o líder do grupo. Ironicamente, a sede de vingança deste homem acaba por suavizar a ira de Soo-ji, e a faz refletir sobre o sentido que deveria dar à sua vida.

Quem acompanha e admira a carreira de Kim Seul-gi ficará satisfeito ao perceber como a atriz pode brilhar em papeis mais sérios, e, apesar de eu adorar seu lado cômico, é muito bom vê-la interpretar muito bem um personagem tão complexo e adorável como a hacker Seo Bo-mi. E Kim Seul-gi encontrou o par perfeito no ator (e ídolo pop) Key, com sua energia adolescente, mas sem perder o tom nas cenas mais dramáticas.

Os antagonistas de Lookout impressionam e perturbam o espectador, por representarem o mal de forma tão realista. Temos o policial que se corrompe e comete crimes brutais, pela simples ganância pelo dinheiro, o promotor e o político que são seduzidos pelo poder, e por fim, mas não menos assustador, o jovem que segue seus impulsos psicóticos, respaldado pela impunidade de seus atos.

Kim Young-kwang (Gogh, the Starry Night, D-Day, Plus Nine Boys, Hot Young Bloods) é o ator perfeito para interpretar personagens indecifráveis como o promotor Jang Do-han. Em Plus Nine Boys ele tinha fama de mulherengo, mas curtia há séculos uma paixão não correspondida pela melhor amiga. Em Man Living at My House ele era o estranho que faz uma mulher se apaixonar por ele, apesar de ter roubado sua herança. E em Gogh, the Starry Night, Kim Young-kwang é o chefe carrasco que faz bater mais forte o coração de Kwon Yuri. Mas em Lookout Kim Young-kwang usa todo o poder de seu ar naturalmente arrogante e debochado para encarnar o personagem mais interessante de sua carreira. Jang Do-han é um personagem com tantas facetas, que consegue nos surpreender com suas atitudes a cada novo episódio. Jang Do-han não é um personagem que se revela de uma hora para outra, é como se seu rosto estivesse coberto por várias máscaras, que vão sendo removidas, à medida que seus segredos vão sendo revelados. Mais do que por ter sido um grande thriller, Lookout será lembrado pela atuação gloriosa de Kim Young-kwang, que fez nascer mais um personagem marcante na crônica dos dramas coreanos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...