14 de nov de 2012

My Country Calls (drama, 2010)


Título alternativo: Secret Agent Miss Oh; Call of the Country

País de origem: Coréia do Sul
Gênero: Comédia, Romance, Policial
Duração: 16 episódios
Produção: KBS TV

Direção: Kim Jeong-gyoo (He Who Can´t Marry, 2009; I am Sam, 2007)
Roteiro: Choi I-rang (Tamra, the Island, 2009), Lee Jin-mae (I am Sam, 2007)

Elenco: Lee Soo-kyeong, Kim Sang-kyeong, Ryoo Jin, Horan, Kang Shin-il, Yan Geum-seok, Lee Byeong-joon, Kim Hyeon-woo, Lee Ki-yeol, Park Hyo-joo, Choi Jae-hwan

Resumo

A policial Oh Ha-na no fundo é uma boa pessoa, mas dificuldades financeiras fizeram dela uma profissional de moral flexível, aceitando propinas aqui e ali, fechando os olhos para pequenos delitos. Mas ao cruzar com o agente da polícia federal Ko Jin-hyuk, ela é forçada a andar na linha... e vive um romance dos mais tumultuados!

Comentário

O ano de 2012 vai ficar na lembrança como o ano dos melodramas, e muita gente deve estar sedenta de uma boa comédia. Enquanto a nova temporada de dramas não chega, que tal voltar no tempo e curtir uma comédia romântica leve e despretensiosa chamada My Country Calls, que estreou no ano de 2010, na KBS, e que teve 16 episódios.

O drama My Country Calls lembra muito When It´s at Night (2009) ao misturar comédia, romance e uma pitada de suspense policial. Ambas séries conseguiram reunir um elenco seleto, que interage muito bem ao longo de toda a trama. A diferença fica no clima geral, que pende mais para a comédia desbragada, no caso de My Country Calls. Mas o elenco reunido não é nada desprezível, com atores tarimbados como o trio principal Lee Soo-kyeong, Kim Sang-kyeong e Ryoo Jin.


Lee Soo-kyeong é Oh Ha-na, uma policial que se aproveita dos privilégios do cargo para ‘arrecadar’ presentes dos comerciantes informais, e estorquir descaradamente agiotas e outros marginais menos perigosos. Órfã de pai, ela praticamente sustenta a mãe, que vive sendo enganada por vendedores espertos. Sendo assim, o sonho de mãe e filha de mudar-se para um apartamento parece distante.

Quando Ha-na leva o fora do noivo, e se vê sem dinheiro para pagar seus empréstimos bancários, parece que nada pior pode acontecer, mas acontece. Ao cruzar com o agente da NIA (uma agência de inteligência estatal), Ko Jin-hyeok (Kim Sang-kyeong), e arruinar por engano uma investigação em curso, Ha-na acaba sendo demitida da polícia.

Após uma série de reviravoltas um tanto absurdas, mas muito engraçadas, a policial Ha-na acaba sendo recrutada pela NIA, como agente secreta. Sua missão é trabalhar disfarçada de secretária de um empresário que administra uma fundação de arte, mas que é suspeito de envolvimento com tráfico de drogas. O tal empresário é Han Do-hoon (Ryoo Jin), um dandy que administra parte dos negócios do pai, mas que gosta mais de arte e moda, do que de trabalhar duro.


Ao conviver diariamente com Han Do-hoon, como sua secretária particular, Ha-na fica confusa, pois ele não tem o perfil clássico de um contraventor. Ele é egocêntrico e esnobe, mas não parece ser do tipo que cometeria um crime grave. No entanto, os colegas agentes da NIA asseguram a Ha-na que existe evidência clara do envolvimento de Han Do-hoon com um perigoso traficante de drogas. Portanto, vai caber a Ha-na vigiar os passos do empresário, e botá-lo de vez na cadeia.

Francamente, o que menos importa em My Country Calls é a trama policial. As trapalhadas dos agentes, os vilões mais ridículos que assustadores, além do  romance, predominam e ofuscam o pouco de seriedade que resta na série.


Lee Soo-kyeong é uma atriz que sempre se destaca em papéis cômicos (The Lawyers of the Great Republic Korea), e fica um pouco apagada em dramas muito pesados (Daemul). É uma de minhas atrizes coreanas favoritas, mas sua migração recente para a TV à cabo (Color of Woman) não tem se mostrado uma boa decisão.


O ator Ryoo Jin, mais conhecido por seus papéis de galã (Love You a Thousand Times), surpreende e rouba a cena com o hilário Han Do-hoon. Foi My Country Calls que abriu as portas para personagens mais leves na carreira do ator, como no recente drama Standby. Pena que ele tropeçou feio ao fazer o drama Babyfaced Beauty.


Quem dispensa apresentações é o grande ator Kim Sang-kyeong, que tem sua carreira mais voltada ao cinema, nos últimos anos. O ator tem trabalhado com alguns dos diretores mais importantes do cinema coreano, em filmes como The World of Silence, May 18, Ha Ha Ha, e o meu preferido de sempre Memories of Murder. Seu último trabalho televisivo foi no “drama special” White Christmas (imperdível!).

Muitas vezes, e com boa razão, os personagens secundários desviam a atenção dos principais. O veterano Kang Shin-il (Kimchi Family), respeitado ator de cinema e TV, brilha como o agente Sin Gi-joon, um chefe exigente, mas que sempre apóia os subordinados, e que tem uma afeição paterna pelo agente Ko Jin-hyeok. Ele forma um trio divertido com os atores Lee Ki-yeol (como o chefe Lee Hyeong-sik) e Lee Sang-hwi (o agente Kim Byeong-joon).


Outra atriz experiente, mas sempre jovial, a bela Yan Geum-seok (Lovers), mostra seu lado mais cômico, como a mãe desligada da policial Ha-na.


Já a cantora Horan estréia neste drama como atriz, e se lhe falta experiência no ramo, sobram beleza, naturalidade e simpatia - como a agente durona Choi Eun-seo. Parece que ela resolveu dar prioridade à carrreira musical, pois não vi outro trabalho seu na TV, a não ser em participações especiais, como ela mesma.


A dupla de agentes mais jovens da NIA, Na joon-min (o gatinho Kim Hyeon-woo), e Park Se-mi (atriz Park Hyo-joo) completa a equipe.


No lado do crime, temos Lee Byeong-joon, como o bandido histriônico Joo Soo-yeong. Lee Byeong-joon é um de meus atores veteranos favoritos, por sua voz profunda (ele também trabalha em musicais), e por sua capacidade de sempre surpreender, por menor que seja o seu papel (Secret Garden, Eye for an Eye).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...