6 de dez de 2012

Sign (Episódio Final)


Chegamos ao final desta longa, mas satisfatória recaptulação do drama coreano Sign, de autoria da talentosa roteirista Kim Eun-hee-I (Ghost). Quem acompanhou este drama pôde desfrutar de momentos de suspense, ação, uma pitada de romance e comédia, e um final de grande impacto emocional. O Dr. Yoon Ji-hoon (interpretado magistralmente por Park Shin-yang) é daqueles personagens para ficar na história da dramaturgia televisiva. Acompanhar a trajetória dos protagonistas de Sign e não se emocionar com seu desfecho é simplesmente impossível. Um belo drama, sem sombra de dúvida.

Recap (spoilers!)

Como visto no episódio anterior, o Dr. Yoon Ji-hoon envia uma mensagem para Go Da-kyeong, pedindo que ela vá até o seu apartamento.

Continua... (clique abaixo)




O episódio 20 começa com Da-kyeong chegando ao estacionamento do prédio do Dr. Yoon. Ao descer do carro ela vê um carro esportivo amarelo deixar o local.


Ela digita a senha para abrir a porta e entra no apartamento, mas estranha que nenhuma luz esteja acesa no local. Ela tateia na escuridão até encontrar um abajur.

Ao acender a luz ela vê o Dr. Yoon deitado em sua cama, vestido e descoberto. Ela se aproxima e o sacode levemente para acordá-lo, mas ele não se move. Percebendo que ele não tem pulso, Da-kyeong realiza uma massagem cardíaca, enquanto implora desesperadamente que o médico desperte. Em vão...


Na cena seguinte vemos Da-kyeong sentada em uma delegacia, respondendo aos questionamentos de um policial. Nesse instante, chega ao local a promotora Jeong Woo-ji. Ela assiste consternada Da-kyeong ser interrogada sobre o ocorrido. O detetive pergunta se o Dr. Yoon já estava morto quando ela chegou à sua casa, qual era seu relacionamento com ele, se não pode ter sido suicídio, e assim por diante... Da-kyeong começa a chorar e afirma categoricamente que o médico jamais cometeria suicídio, e que certamente se trata de homicídio.


Jeong Woo-ji, também chorando, consola a amiga e diz acreditar no que ela diz. Da-kyeong comenta ter visto Kang Seo-yeon saindo do prédio do Dr. Yoon enquanto ela entrava. Ela percebe que não pode se tratar de uma coincidência, e a jovem pode muito bem ter assassinado o médico legista que estava tentando incriminá-la há tempos.


Na mesma noite, o Dr. Lee Myeong-han, diretor do SNF, trabalha em seu escritório, quando recebe a visita inesperada de Kang Seo-yeon. Ela diz ao diretor - em tom de ameaça - que a partir do dia seguinte será a primeira-dama do país, e terá todo o poder que desejar.


O detetive Choi chega correndo à delegacia, onde encontra as duas amigas, Da-kyeong e Jeong Woo-ji, arrasadas com a morte do Dr. Yoon. Jeong Woo-ji pede ao detetive que cuide da jovem médica, pois ela faz questão de se assumir o caso, como promotora. Nesse instante chega outro promotor, afirmando já ter pegado o caso. O promotor Noh parece ter resolvido tudo antes mesmo de qualquer investigação. Para espanto dos amigos do Dr. Yoon, o promotor afirma que o Dr. Yoon deve ter cometido suicídio, por ter fracassado no caso Seo Yoon-hyung, o que o levou a sair do SNF. E conclui que o caso teria deixado Yoon obcecado e até mesmo paranoico. Quando o promotor Noh sai, o detetive Choi pergunta quem é ele afinal, e a promotora Jeong diz que se trata do sucessor político do congressista e candidato à presidência, Kang Joon-hyuk. Fica mais do que claro o comportamento suspeito do promotor, ao tentar abafar a investigação. Finalmente Da-kyeong parece despertar para a realidade do ocorrido e diz aos amigos que tem de ir embora para “proteger a jornada final do Dr. Yoon”.


A promotora Jeong Woo-ji vai falar com seu chefe, o promotor Choi, sobre a tentativa do congressista Kang Joon-hyuk de usar a própria promotoria para abafar o caso do provável assassinato do Dr. Yoon. Ela quer assumir a investigação, mas o chefe diz ser impossível.


Na sede do Serviço Nacional Forense, o SNF, a notícia da morte do Dr. Yoon choca a todos. Os ex-colegas do médico procuram a Dra. Go para saber o que aconteceu. Ela diz que a verdade virá à tona depois de ela realizar a autópsia do corpo do Dr. Yoon.


Enquanto isso, o advogado Jang Min-seok está tentando convencer o Dr. Lee Myeong-han a ajudar mais uma vez a encobrir um crime cometido pela filha do congressista Kang. O Dr. Lee se lembra da última conversa que teve com o Dr. Yoon. Na ocasião, o Dr. Yoon pedira um favor ao ex-colega, para que ele cuidasse de um caso futuro, quando um corpo chegaria portando evidências importantes, para solucionar casos anteriores de homicídios não resolvidos. Se na época o pedido parecera estranho, agora fazia sentido para o Dr. Lee.



“Não ignore os sinais que o morto deixa em seu corpo. Eu conto com você”, foram as últimas palavras do Dr. Yoon para o diretor do SNF.

A Dra. Go Da-kyeong se prepara para realizar a autópsia do Dr. Yoon, enquanto recorda dos muitos momentos importantes em que passou ao lado dele, alguns dramáticos, muitos outros felizes.


Como em um deja vu da primeira vez em que trabalhou com o Dr. Yoon, a Dra. Go se tranca em uma sala para realizar uma autópsia não autorizada. Atrás do vidro do anfiteatro da sala, o Dr. Lee e os demais observam a situação. Para consternação do advogado Jang, o Dr. Lee decide não interferir no procedimento. Cansado dos desmandos do congressista Kang, o Dr. Lee resolve se impor como diretor do SNF e ordena que o advogado Jang saia do local e não tente mais interferir no caso.


O detetive Choi vai até a cena do crime, o apartamento do Dr. Yoon, para tentar encontrar alguma prova importante.


No SNF, os funcionários observam a Dra. Go realizar a autópsia do corpo do ex-colega, o Dr. Yoon.


O detetive Choi examina cada canto do apartamento, sem encontrar nada, até que um quadro na parede chama a sua atenção.


A Dra. Go encontra uma pequena fibra na traqueia da vítima e conclui que a causa da morte foi a mesma do cantor Seo Yoon-hyung, ou seja, morte por asfixia. Em resumo, o Dr. Yoon foi mesmo assassinado.


Em seguida, a médica legista parte para investigar mais a fundo o corpo, em busca de alguma pista da identidade do assassino. Através do uso da luz ultravioleta, ela nota uma marca nítida na mão do morto, deixada provavelmente por um anel.


Nesse instante chega o detetive Choi, com mais uma prova encontrada no apto. do Dr. Yoon. Escondida atrás de um quadro estava uma câmera filmadora e o chip de memória da mesma teria registrado o crime.


Os funcionários mais graduados do SNF se reúnem na sala de conferências para assistir às imagens dos últimos instantes de vida do Dr. Yoon.


No vídeo, gravado por uma câmera escondida no apartamento do Dr. Yoon, o vemos com a jovem Kang Seo-yeon, bebendo chá. O Dr. Yoon diz ter em mãos uma fita de vídeo que mostra Kang Seo-yeon entrando e saindo do camarim do músico Seo Yoon-hyung, na noite do seu assassinato. Ele ameaça entregar a fita para os meios de comunicação, se ela não se entregar espontaneamente à polícia. Se ela não colaborar, o escândalo irá arruinar a chance de seu pai de eleger-se presidente no dia seguinte.


Kang Seo-yeon diz que só vai se entregar depois de ver a fita de vídeo. O Dr. Yoon concorda e se afasta para pegar a fita. Os especialistas do SNF ficam chocados ao ver claramente a cena de Kang Seo-yeon colocando um pó branco dentro da xícara de chá do Dr. Yoon, quando este lhe dá as costas por alguns instantes.


Os espectadores sentem desespero e impotência ao ver o Dr. Yoon beber o chá supostamente envenenado, diante do olhar atento da jovem assassina. O efeito da toxina é instantâneo, e o médico fica paralisado, a mercê de Kang Seo-yeon.


Ele cai deitado na cama e Kang Seo-yeon se levanta para pegar uma almofada.  Ela se inclina sobre Yoon e o sufoca com a almofada. A única reação do médico é segurar com força o anel da moça, deixando uma marca na palma de sua mão – uma evidência incriminadora importante.


O Dr. Lee Myeong-han, Go Da-kyeong e os demais não contêm as lágrimas de tristeza ao assistir a morte brutal do Dr. Yoon.


Na mansão da família Kang, vemos Seo-yeon se desfazendo das provas de seu último crime, picando em pedaços o tecido da almofada que usou para matar o Dr. Yoon.

O Dr. Lee pede que repitam a parte do vídeo em que Kang Seo-yeon coloca o veneno na xícara. Dando um zoom na imagem, eles percebem que o Dr. Yoon pôde ver, pelo reflexo de um espelho, o gesto da assassina.



O pessoal do SNF constata com admiração e espanto que todos os movimentos do Dr. Yoon foram friamente calculados para incriminar Kang Seo-yeon, mesmo que para isso tivesse que sacrificar a própria vida. O detetive Choi conclui “Ele provocou Kang Seo-yeon a matá-lo”. Foi assim que o Dr. Yoon decidiu morrer.

Antes de eliminar a fita de vídeo, Kang Seo-yeon decide averiguar seu conteúdo. Realmente a fita de vídeo estava em branco, e pela primeira vez Kang Seo-yeon parece desconcertada ao perceber que foi ludibriada pelo Dr. Yoon.


Go Da-kyeong vai até a sala de autópsia despedir-se do seu amado Dr. Yoon. Ela segura sua mão, enquanto chora inconsolavelmente.


Prevendo que o congressista Kang Joon-hyuk tentaria abafar o caso, o promotor chefe Choi e Jeong Woo-ji resolvem agir rapidamente. O Dr. Lee convoca a imprensa para levar a público o resultado da autópsia no Dr. Yoon. O chefe do SNF explica aos repórteres que a conclusão do exame foi de que o Dr. Yoon foi assassinado em sua própria casa, e que o assassino deixou provas que o identificariam.


A notícia bombástica está em todos os canais de TV – a filha do candidato à presidência Kang Joon-hyuk é a assassina do Dr. Yoon. Entretanto, o promotor do caso ainda hesita em emitir um mandado de prisão para Kang Seo-yeon. A promotora Jeong Woo-ji pede ao colega que transfira o caso para ela, que ao contrário dele, não tem medo do político.

Finalmente, a promotora Jeong Woo-ji e o detetive Choi conseguem a autorização oficial para prender a assassina.


Como consequência da prisão da filha, o congressista Kang é forçado a renunciar à sua candidatura a presidente do país, e a se afastar definitivamente da vida pública.


Go Da-kyeong vai até o apartamento do Dr. Yoon, separar os objetos pessoais do médico. Emocionada, Da-kyeong encontra uma máquina fotográfica, com fotos que ele tirou dela no mercado de peixes.


O detetive Choi aparece assistindo uma partida de futebol em casa, pulando como uma criança em sua cama. A promotora Jeong Woo-ji grita da sala que ele está fazendo muito barulho, atrapalhando sua leitura.
Alguém bate à porta; é o promotor chefe Choi, e Jeong Woo-ji corre para se esconder dentro do guarda-roupas. Mas o pai do detetive Choi acaba pegando a moça em flagrante.


O Dr. Lee se despede da direção do SNF, fato inevitável depois de tamanho escândalo. Ele encontra a Dra. Go e pede que ela proteja o SNF, que ele um dia fundou com o falecido Dr. Jung Byung-do.


Numa suave tarde de inverno, no parque onde um dia passeou de mãos dadas com seu amado, Go Da-kyeong recorda com carinho os bons momentos que os dois passaram juntos.
Sentada em um banco, com uma bela vista para o lago, ela se imagina inclinando a cabeça sobre o ombro do querido Dr. Yoon. (Fim)


Legendas em português, cortesia “Tea House and Cinema”
Link: http://bit.ly/1X5aQmm
Link para vídeo (raw) torrent: http://bit.ly/1H4jIAD

Observação importante: "Esse não é um site do tipo 'fansub'. Todas as legendas traduzidas por esse blog foram feitas para consumo pessoal (para encaminhar a amigos e familiares) e são divulgadas aqui como cortesia. Portanto, não serão aceitos pedidos (de títulos de dramas ou filmes), sugestões (de formato de vídeo, etc.) ou reclamações (sobre atrasos, formato de arquivos, etc.). Por favor, peço a sua consideração e respeito, pois muitas horas de lazer e descanso são perdidas na realização dessas traduções.

Um comentário:

  1. Anônimo11:00 PM

    Chorei tanto com esse final T^T Dr. Yoon, não podia ter morrido :cc Mas o final foi bem emocionante e inesperado mesmo, Sign é um dos melhores dramas que já vi *-*

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...