15 de mai de 2016

Marriage Blue (filme, 2013)


País: Coréia do Sul
Gênero: Comédia Romântica
Duração: 118 min.

Direção: Hong Ji-young
Roteiro: Go Myeong-joo

Elenco: Kim Kang-woo, Kim Hyo-jin, Taecyeon, Lee Yeon-hee, Joo Ji-hoon, Ma Dong-seok, Guzal Tursunova, Lee Hee-joon, Go Joon-hee.

Resumo

A data mais importante de suas vidas se aproxima, e quatro casais enfrentam dúvidas, medos e desejos secretos, a caminho do altar...

Comentário

A diretora e roteirista Hong Ji-young (Naked Kitchen) está de volta com um trabalho mais leve e cômico, mas sem perder seu toque sarcástico e crítico de sempre. Com o apoio de uma roteirista novata, Go Myeong-joo, a cineasta Hong tem a ambição de discutir este tema tão espinhoso que é o relacionamento entre homens e mulheres. E apesar de expor as neuroses de ambos os sexos, diretora e roteirista conseguem ser românticas e otimistas. Ainda bem, pois detesto quando um filme finge ser comédia, para terminar em vergonhoso melodrama.


Tae-gyoo (Kim Kang-woo, de Ha Ha Ha) é um jogador de baseball aposentado, que agora treina um time da segunda divisão. Sua namorada, Joo-yeong (Kim Hyo-jin) é uma médica urologista. Anos atrás, quando ele estava no auge da fama, os dois romperam o namoro, mas agora estão juntos, e prontos para subir ao altar. Mas, faltando uma semana para o casamento, Tae-gyoo descobre que a noiva teve um caso sério no passado e fica obcecado em descobrir mais sobre este homem.


So-mi (Lee Yeon-hee, de Miss Korea) é uma manicure que namora há sete anos o chefe de cozinha Won-cheol (Taecyeon). Apesar do casamento marcado, So-mi sente que algo está faltando em sua vida, e que a paixão pelo noivo transformou-se em simples acomodação. So-mi resolve fazer uma última viagem sozinha, antes da boda, para participar de um concurso de arte em unhas, mas também para pensar sobre o futuro. Na romântica ilha de Jeju ela conhece Kyeong-soo (Joo Ji-hoon), um famoso desenhista de quadrinhos, e guia turístico nas horas vagas, que faz seu coração bater mais forte...

Geon-ho (Ma Dong-seok, de Bad Guys) é um solteirão de bom coração, dono de uma floricultura, que se apaixona por Vika (Guzal Tursunova) uma imigrante do Uzbequistão. O casal tem uma rotina feliz e harmoniosa, mas, com o casamento à vista, Geon-ho começa a ficar inseguro com a noiva bonita e tão mais jovem que ele. E, para piorar, ele passa a desconfiar que ela esteja se casando apenas para conseguir a cidadania coreana.


Dae-bok (Lee Hee-joon, de Unexpected You) trabalha como recepcionista na clínica de urologia de Joo-young. Ele namora a cerca de um mês a bela Yi-ra (Go Joon-hee, de Twelve Men in a Year), uma planejadora de casamentos. Uma gravidez não planejada faz com que os dois resolvam se casar. Só que Dae-bok começa a duvidar dos sentimentos da noiva por ele, já que ela insiste em esconder seu relacionamento do pai (Jang Gwang), um pastor rígido e conservador.

Como em todo filme dividido em várias estórias paralelas (omnibus), é impossível não simpatizar mais com um ou outro personagem. Embora este não seja meu gênero favorito de filme, Marriage Blue consegue equilibrar em grande parte seu enredo fragmentado. Além de conectar de forma orgânica as quatro estórias de amor, cada casal tem seu charme e sua graça.

Meu casal favorito é Kim Kang-woo (Goodbye Mr. Black) e Kim Hyo-jin (Marry Me, Mary), de longe os melhores atores do filme. E sua estória é a mais engraçada, e, ao mesmo tempo, realista. O casal se conheceu na juventude, e depois de alguns anos separados, voltou a se enamorar. Eles se julgam muito mais maduros e seguros, hoje em dia, mas não é bem assim... Tae-gyoo ainda conserva muito do egocentrismo dos tempos de estrela do baseball, mas ao menos se esforça para corrigir as falhas do passado no relacionamento com Joo-yeong. Joo-yeong é uma médica urologista bem sucedida, com seu consultório médico privado. Mas de vez em quando afloram algumas mágoas do passado, segredos que ela insiste em esconder de Tae-gyoo. Quando descobre que a noiva teve um relacionamento sério na época em que estiveram separados, Tae-gyoo simplesmente surta. Com crises de ciúmes violentas, Tae-gyoo protagoniza as cenas mais absurdas e divertidas, em busca do misterioso ex de Joo-yeong. Kim Hyo-jin também esbanja talento cômico; pena que tem aparecido pouco no cinema, desde seu casamento com o ator Yoo Ji-tae, com quem tem um filho.

A diretora Hong é velha amiga do ator Joo Ji-hoon, que já estrelou dois de seus filmes mais conhecidos, Antique e Naked Kitchen. Joo Ji-hoon já foi um príncipe (no drama Princess Hours), mas nunca encarnou um personagem tão romanticamente ideal como em Marriage Blue. Ele é Kyeong-soo, um desenhista de quadrinhos de estórias românticas e fantasiosas, com uma legião de fãs ardorosas. Eu adoraria ver um filme exclusivamente com este personagem, e suas aventuras na paradisíaca ilha de Jeju. Mesmo assim, é um prazer vê-lo num papel tão ‘normal’ e ao mesmo tempo sedutor. E a indecisão de Lee Yeon-hee entre Taecyeon e Joo Ji-hoon me deixou aflita até o final!

Grande parte dos conflitos entre os casais se deve ao simples desinteresse pelos problemas um do outro, por mais contraditório que possa parecer. Se há uma mensagem que amarra todas estas estórias é que amor algum resiste à falta de diálogo e compreensão mútua. Marriage Blue pintar com humor e otimismo os conflitos do amor, mas também nos faz meditar um pouco sobre os sacrifícios e desafios da vida a dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...