9 de ago de 2013

I Hear Your Voice (drama, 2013)



País de origem: Coréia do Sul
Gênero: Drama, Thriller, Fantasia
Duração: 18 episódios
Produção: SBS TV

Direção: Jo Soo-won
Roteiro: Park Hye-ryeon

Elenco: Lee Bo-young, Lee Jong-suk, Yoon Sang-hyun, Lee Da-hee, Kim Kwang-gyu,Jung Dong-hwan, Kim Hae-sook, Jung Woong-in, Kim Ga-eun, Yoon Joo-sang, Choi Sung-joon, Kim Byung-ok, Park Doo-shik.

Resumo

I Hear Your Voice conta a estória de Jang Hye-sung, uma defensora pública que conhece Park Soo-ha, um jovem que tem a habilidade de ler a mente das pessoas. Com a ajuda dele, e do colega advogado Cha Kwan-woo, ela irá defender os pobres e oprimidos... Mas com a volta de um assassino que marcou suas vidas no passado, o perigo estará à espreita...


Comentário (com spoilers!)

O drama I Hear Your Voice foi o grande sucesso da temporada na TV coreana, tendo inclusive estendidos seus 16 episódios originais para um total de 18 (aliás, o drama poderia tranquilamente ter durado 20 episódios, como é comum no gênero drama, e imagino que isto não tenha ocorrido por uma questão de agenda dos atores).

O sucesso do drama é atribuído especialmente aos protagonistas Lee Bo-young, como a advogada Jang Hye-sung, e Lee Jong-suk, como Park Soo-ha, o jovem com poderes paranormais. Com uma mistura arriscada de gêneros ( um suspense dramático, com toques de fantasia, romance e até comédia), em mãos menos experientes, I Hear Your Voice poderia ter sido um grande fiasco. Felizmente, o resultado foi dos mais interessantes, e a experiência plenamente satisfatória para os espectadores. A roteirista Park Hye-ryeon fez um excelente trabalho, considerando-se seus projetos anteriores, não tão marcantes, como Dream High (2011), ou Stranger Than Paradise (2006).


Apesar do mix de gêneros, a trama segue o esquema normal dos dramas de TV; o frescor e a novidade podem ser atribuídos à personalidade espontânea da personagem central. Jang Hye-sung é uma mulher de caráter brutalmente honesto, sem papas na língua, como poucas vezes visto nos dramas coreanos. Por maiores que sejam suas aflições, ela nunca assume o papel de vítima, encarando seus problemas de frente. Muitas vezes sua independência é encarada como teimosia e frieza por seus colegas, o que em parte é verdade. Acontece que Jang Hye-sung teve uma infância e adolescência difíceis, tendo sido criada pela mãe, uma mulher pobre, mas batalhadora. Aliás, o temperamento orgulhoso de Hye-sung foi herdado da mãe, Eo Choon-shim (interpretada pela fantástica atriz Kim Hae-sook). Dois eventos dramáticos irão afetar a vida da adolescente Hye-sung (intrepretada por Kim So-hyun). O primeiro é ser acusada injustamente de ferir a colega de escola Seo Do-yeon, filha do juiz Seo Dae-seok. Como consequência, Hye-sung e a mãe são expulsas da casa do juiz, onde Eo Choon-shim trabalhava há anos como empregada. O segundo evento é um homicídio brutal presenciado por Hye-sung e Do-yeon. No momento de testemunhar o crime, apenas Hye-sung comparece no tribunal, enfurecendo o assassino, que jura vingança à jovem garota. Mas ao menos Hye-sung tem o consolo de ter a gratidão do garotinho Park Soo-ha, filho da vítima.


Os anos se passam e nos encontramos com a personagem Jang Hye-sung adulta, formada em direito. Sua mãe agora é dona de um pequeno restaurante de frango frito e, apesar de ter orgulho da filha, vive pressionando para que ela consiga um bom emprego, ou desista da carreira e se case. Jang Hye-sung não demonstra muito entusiasmo com a profissão, mas resolve candidatar-se a uma vaga na defensoria pública. Para sua própria surpresa, ela acaba contratada, juntamente com o advogado Cha Kwan Woo (Yoon Sang-hyun), um ex-policial com um coração de ouro. Cha Kwan Woo é o extremo oposto da colega Jang Hye-sung: entusiasmado, idealista e educado com seus superiores.


Park Soo-ha, o garotinho que viu seu pai ser morto brutalmente, tornou-se um jovem inteligente, mas muito solitário. Abandonado à própria sorte pelo tio, e único parente vivo, Soo-ha frequenta o estudo secundário, como qualquer adolesce normal, mas esconde um segredo... Desde a trágica morte do pai, Soo-ha adquire o poder de ler a mente das pessoas, uma habilidade que é mais um tormento do que uma bênção em sua vida, por ser algo que não pode ser controlado. Park Soo-ha nunca se esqueceu da garota que ajudou a prender o assassino de seu pai e, por isso, passou muito tempo tentando encontrá-la. Jang Hye-sung é sua benfeitora, e seu primeiro amor...


Quando finalmente Park Soo-ha consegue reencontrar Jang Hye-sung, uma sombra maléfica se aproxima dos dois. Min Joon-gook (Jung Woong-in, em uma caracterização assustadora), o assassino do pai de Soo-ha, deixa a prisão, e vai atrás de Hye-sung e Soo-ha, em busca de vingança.


O fator mais interessante deste drama é a dinâmica entre os personagens, que evolui de forma muito inesperada ao longo do tempo. No princípio a advogada Jang Hye-sung parece entusiasmada com a possibilidade de um relacionamento sério com o colega Cha Kwan Woo. Pouco interessada na carreira profissional, Hye-sung vê o casamento como uma alternativa muito cômoda. Entretanto, as coisas mudam com o surgimento de Park Soo-ha, que passa a ajudá-la no tribunal, com sua habilidade única de descobrir a verdade na mente das pessoas. A partir daí, Cha Kwan Woo deixa de ser um interesse romântico para Hye-sun (embora ele não deixe de gostar dela), mas passa a ter um papel fundamental como mentor profissional para ela. É graças a Cha Kwan Woo que Hye-sun aprende a respeitar e lutar pelos direitos de seus clientes diante da justiça.


A relação entre a advogada e Soo-ha também tem uma trajetória surpreendente, e muito romântica. No começo, o jovem Soo-ha é apenas alguém que Hye-sun pode usar para ganhar facilmente seus casos no tribunal; até que ela descobre que Park Soo-ha é o garotinho que ela salvou da morte há dez anos. Sua ligação se fortalece com o surgimento de Min Joon-gook, que passou todo este tempo na prisão, maquinando sua vingança. Soo-ha fará de tudo para proteger Hye-sun do bandido, inclusive arriscar sua própria vida.


Sobre o par Lee Bo-young e Lee Jong-suk, tenho minhas restrições (muito pessoais). Os espectadores amaram o casal Hye-sung e Soo-ha, e torceram fervorosamente para que eles tivessem um final feliz. E realmente, eles formaram um casal dos mais adoráveis, mas... Quando percebi que a estória seguiria por este caminho, fiquei um tanto incomodada. Mais um drama em que uma mulher madura, profissionalmente estabelecida, se apaixona por um jovem, muito lindo, mas muito imaturo. Nada a ver com o preconceito quanto à idade, mas qualquer psicólogo diria, neste caso, que o personagem Park Soo-ha vê na advogada Jang Hye-su a mãe (e a família) que ele nunca teve. A estória poderia tranquilamente ter se desenvolvido sem o envolvimento romântico entre os dois; seria mais natural e verossímil. Neste ponto, podemos dizer que IHYV não foi inovador, mas seguiu à risca a cartilha dos dramas românticos. O desfecho acabou sendo agradável para todos, já que a expectativa e o medo de uma grande tragédia eram grandes. Para mim, IHYV é um drama altamente recomendável, mas não entra para a lista dos melhores que já assisti (mas está sim entre os melhores do ano!).

Apesar de eu ser fã de Yoon Sang-hyun e Lee Jong-suk (que já haviam trabalhado juntos no drama Secret Garden), se tem alguém que merece destaque por sua atuação é a atriz Lee Bo-young (My Daughter Seo-yeong, 2012). A energia e principalmente a credibilidade que a atriz imprime ao personagem são dignas de todos os elogios (e prêmios) possíveis. Lee Bo-young é uma atriz que merece ser aplaudida e seguiremos de perto seus futuros projetos (após seu casamento com o ator Ji Sung, em setembro).

2 comentários:

  1. Outro dorama que não dava nada e arrebatou meu coração de uma forma impressionante!!! Com certeza entrou na minha lista de melhores. Ele manteve sua qualidade do inicio ao fim!!
    E discordo quando diz que o dorama não foi inovador porque o Park Soo Ha ficou com a Advogada Jang. Acho que ele inovou justamente por isso.Em um país tao conservador eu jurava que ela ficaria com o Advogado Cha.
    Ela ficar com o garoto, trouxe um ar mais refrescante ao dorama e marcou bem mais a historia do que se tivesse ficado com o Adv. Cha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Emanuelly,
      vc tem toda razão em recomendar IHYV, que não por acaso levou (quase) todos os prêmios no último Korean Drama Awards.
      Mas vejo que vc não está muito familiarizada com os dramas coreanos, pois os romances de "noona", como são chamados, são muito comuns e famosos. Se vc pesquisar um pouco vai encontrar verdadeiros tratados sobre o assunto. Só para ilustrar, por coincidência, esta semana mesmo o dramabeans tratou do assunto, dando dicas de muitos dramas do gênero. Recomendo a leitura para quem tem interesse em assistir bons (e clássicos) dramas do gênero. Um dos meus favoritos é "The Woman Who Still Wants to Marry".
      Link: http://www.dramabeans.com/2013/09/if-you-like-noona-romances/

      bjs,
      Sam.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...