21 de mar de 2016

Twenty (filme, 2014)


País: Coréia do Sul
Gênero: Comédia
Duração: 115 min.

Direção e Roteiro: Lee Byeong-heon-I

Elenco: Kim Woo-bin, Junho, Kang Ha-neul, Jeong So-min, Lee Yoo-bi, Min Hyo-rin.

Resumo

Três amigos de infância chegam aos 20 anos repletos de dúvidas e desafios de vida...

Comentário

Twenty tem um elenco de sonho para qualquer garota que é fã de dramas coreanos, por isso imagino que o filme tenha atraído um grande público feminino... Mas, não duvido que para elas a decepção tenha sido tão grande quanto à expectativa... Twenty é um bom filme, mas sua alma muito masculina pode provocar perplexidade e até certa revolta nas meninas mais ingênuas e românticas. Já os rapazes podem se divertir muito e certamente se identificar com muitas das situações vividas pelos personagens centrais.

Lee Byeong-heon-I, é o jovem diretor (The Cravings) e roteirista (Love Forecast, Sunny - 2010, Speedy Scandal) por trás desta comédia, por vezes divertida, outras agridoce, que tenta acompanhar a passagem da adolescência para a idade adulta de três amigos inseparáveis.


Chi-ho (Kim Woo-bin), Dong-woo (Junho) e Gyung-jae (Kang Ha-neul) foram amigos e colegas de escola por muitos anos. Agora eles têm 20 anos, e é tempo de dizer adeus à diversão despreocupada e pensar no futuro pela frente... E cada um dos rapazes tem seu jeito de lidar com as novas responsabilidades de adulto.


Gyung-jae é o único dos três que conseguiu entrar na universidade. Ele planeja trabalhar em uma grande corporação financeira. Em um clube de estudos da faculdade ele conhece Jin-joo (Min Hyo-rin - Sunny – 2010), uma formanda muito bonita e inteligente. Ingênuo e inexperiente, Gyung-jae confunde o interesse da colega com amor, e o desfecho é previsível, mas não menos doloroso de ver...


Dong-woo tem um talento nato para o desenho, e sonha em viver como quadrinista. No entanto, problemas financeiros familiares fazem com que o rapaz tenha de viver de bicos, para poder sustentar os irmãos mais novos. Sua única fã é So-hee (Lee Yoo-bi), a irmã caçula do amigo Gyung-jae.


Por fim, temos Chi-ho, que, apesar de viver uma vida confortável, é o mais sem noção do trio. Chi-ho não tem interesse em estudar, ou em qualquer tipo de trabalho. Apesar de ter uma namorada dedicada, So-min (Jung So-min - D-Day), ele não deixa de frequentar boates, atrás de mulheres bonitas. Eventualmente, ele conhece uma aspirante a atriz, Eun-hye (Jung Joo-yeon), e acaba aprendendo algumas lições valiosas sobre o amor e a vida.


Twenty não é um filme perfeito, e por ser autoral, suas falhas ficam mais evidentes e fáceis de serem apontadas. O ritmo é muito irregular, indo do meditativo ao frenético, sem as conexões devidas. E estas conexões deveriam estar exatamente na amizade entre Chi-ho, Dong-woo e Gyung-jae, mas o afastamento entre eles é cada vez maior, à medida que o tempo passa... É até natural, já que suas vidas pós-escola assumem rumos completamente distintos. Mas, por outro lado, amigos de verdade estão sempre ali, para ajudar e aconselhar nas horas mais difíceis. No final, é cada um pra cada lado, tentando resolver seus problemas... E são as garotas que acabam colocando um pouco de juízo na cabeça destes bebês grandes!


O elenco masculino merece todos os elogios possíveis, por encarnar com tanto abandono, personagens tão dolorosamente reais. Junho, com uma carreira consagrada como músico, tem pavimentado com sabedoria a nova carreira de ator, com trabalhos elogiados no cinema (Cold Eyes) e agora chegando aos dramas (Memory, tvN). Sua atuação em Twenty é sensível, e ele forma um par adorável com a sempre moleca Lee Yoo-bi (Pinocchio). Kang Ha-neul, um ator experiente, veio dos grandes palcos de musicais, mas ficou mais conhecido do grande público por dramas como Misaeng, The Heirs, ou Missing Noir M. Atualmente tem concentrado sua carreira no cinema, em papeis os mais variados (Dongju, Cést Si Bom). Apesar do ar de bom moço, Ha-neul não tem medo de aceitar desafios – visto por exemplo, por sua participação especial no drama policial Missing Noir M, onde interpreta um psicopata assustador.


Mas é Kim Woo-bin (The Heirs, Friends 2, The Con Artists) que mais me surpreendeu, com sua intrepretação demolidora do playboy Chi-ho. O ator já tinha provado que pode roubar a cena, em meio a outras estrelas mais celebradas (Lee Min-ho e Park Shin-hye, e o próprio Kang Ha-neul), e assim o fez, no drama The Heirs. Mas Woo-bin conseguiu dar um passo muito maior com o irreverente e às vezes destrutivo Chi-ho. Um personagem que provoca tantos sentimentos no espectador, que vão da perplexidade ao desprezo, da simpatia à pena. Gostando ou não, é impossível ignorar este trem desgovernado que é Chi-ho, tão perfeitamente encarnado pelo talentosíssimo (e corajoso) Kim Woo-bin.

Se Twenty é uma comédia dramática que pode ser mais atraente para o público masculino, serve ao menos de estudo sociológico para nós mulheres, sempre interessadas em entender a mente não tão complexa quanto intrigante dos homens. Aos estudos, meninas!

2 comentários:

  1. Anônimo4:32 PM

    Olá :) Já acompanho seu blog há um tempo, mas nunca comentei por aqui. Gosto das suas indicações e dos seus pontos de vista não tão óbvios. Comecei Misaeng dps do seu post, e mesmo não tendo concluído ainda o drama, foi uma ótima indicação. Um drama que foge da mesmice e narra com muita delicadeza a relação interpessoal no ambiente de trabalho. Fora o elenco, que é show. :)

    Mas, sobre Twenty. Retratando o que eu disse, se não fosse por sua observação, teria passado 'batido' por mim o fato de ser um filme pro público masculino e, como tal, há as verdades ~nuas e cruas do universo dos rapazes.

    Talvez por ser da geração do sucesso do primeiro American Pie e todos demais filmes ~mongolóides do gênero, eu não me incomodei tanto em Twenty. Sim, o filme é sobre o ~amadurecimento de 3 amigos entrando na fase adulta. E sim, o trio protagonista é masculino. Então, claro que saquei que certas cenas eram narradas da perspectiva masculina. Mas não achei ofensivo, acho que foram até bem sutis - novamente, tendo como parâmetro American Pie hahah

    Gostei bastante desse filme, achei bem despretensioso e ainda assim deixou uma mensagem no final. Interpretei como um filme de comédia, e pra mim, ele foi muito feliz nesse objetivo. O que eu ri com a cena do restaurante.. que só de lembrar, já dá vontade de rir. E é uma cena tão ~imbecil, digna de comédia pastelona, mas que em Twenty funcionou muitíssimo bem. E muito do mérito dedico ao Woo Bin, que não precisou falar nada, apenas variar de uma expressão a outra. Menino tem muito talento - e não só pra personagem idiota. O JunHo foi uma boa surpresa e o Ha Neul sou suspeita, porque gosto muito da atuação dele.

    Recomendaria esse filme a qualquer pessoa, de qualquer gênero. :) Mas, como vc bem observou, pode ser que alguma pessoa mais ~sensível sinta-se incomodada com a linguagem e personagens.

    E agora fiquei com vontade de conferir Missing Noir, apenas pra ver o Ha Neul como psicopata \o/

    AnônimA :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga Anônima,

      muito bem colocadas suas observações!
      Também acho que o filme pode agradar tanto meninos quanto meninas, por isso mesmo fiz questão de indicá-lo. Apenas procurei enfatizar o tom mais "malandro" do filme, já que o público leitor deste blog é quase todo feminino - mas tenho certeza de que nada ingênuo, né? Acho muito recomendável que as fãs de dramas também vejam filmes com seus atores favoritos, pois assim terão a oportunidade de, muitas vezes, presenciarem atuações mais fortes e maduras. Sem contar que o cinema coreano tem produções maravilhosas, em todos os gêneros!

      abraços,
      esperando contar sempre com sua visita,
      Sam.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...