2 de mar de 2016

Resurrection/Revenge (drama, 2005)


País: Coréia do Sul
Gênero: Drama
Duração: 24 episódios
Produção: KBS TV

Direção: Park Chan-hong, Jeon Chang-geun
Roteiro: Kim Jee-woo

Elenco: Eom Tae-woong, Han Ji-min, So Yi-hyeon, Ko Joo-won, Lee Yeon-hee, Kim Yoon-seok.

Resumo

Resurrection é a estória de irmãos gêmeos separados na infância. Yoo Gang-hyeok é adotado por uma família pobre, passa a chamar-se Seo Ha-eun e torna-se detetive de polícia. Yoo Sin-hyeok, um empresário bem sucedido, acha que o irmão morreu no acidente de carro que vitimou seu pai. Quando Ha-eun resolve investigar as circunstâncias suspeitas da morte do pai, acaba reencontrando o irmão Sin-hyeok.

Comentário

A parceria entre a roteirista Kim Jee-woo e o diretor Park Chan-hong é uma das mais longas e bem sucedidas no mundo dos dramas, tendo iniciado com o drama Resurrection, e seguindo com The Devil (2007), Kimchi Family (2012) e Shark (2013). A escritora Kim Jee-woo gosta de criar seus protagonistas sempre como bad boys, de policiais durões a gangsters rebeldes, mas todos no fundo, de bom coração... A vingança, as tragédias familiares e romances impossíveis são temas recorrentes desta roteirista que não tem medo de levar seus personagens a cometer atos extremos em nome da justiça pessoal. Depois da experiência satisfatória, embora traumática, de assistir o drama The Devil, foi com cautela e temeridade que acompanhei os passos do anti-herói Seo Ha-eun, em sua busca inexorável por vingança. E realmente, as escolhas morais de Seo Ha-eun nem sempre são as mais acertadas, mas, por outro lado, em momento algum ele deixa de ter consciência da gravidade de seus atos. Em Resurrection Eom Tae-woong interpreta um detetive de polícia dedicado e admirado pelos colegas, como voltaria a acontecer no drama The Devil. Mas as semelhanças entre os personagens param por aqui, pois se em The Devil ele era o alvo da trama de vingança de Joo Jin-hoon, em Resurrection é Eom Tae-woong que assume o papel de justiceiro implacável.


Por tratar-se de um suspense, quanto menos o espectador souber sobre a estória, mais agradavelmente surpreendente será acompanhar a trama. Apesar de o drama contar com 24 episódios, os personagens centrais são fixos, e a estória gira toda em torno do protagonista Eom Tae-woong (Valid Love), em sua dupla interpretação, como os gêmeos Yoo. É um verdadeiro tour de force do ator, já que no final das contas, as reviravoltas loucas da trama o fazem interpretar quatro ‘personalidades’ diferentes (só vendo para entender!). Aliás, é o carisma e o apelo masculino do ator que sustentam firmemente a trama de Resurrection até o fim. Sem contar que a veia cômica de Eom Tae-woong traz um alívio muito bem vindo ao clima trágico do drama.

Aos sete anos de idade, os gêmeos Gang-hyeok e Sin-hyeok levam uma vida tranquila com o pai, policial, e a mãe, dona de casa. Até o dia em que Gang-hyeok e o pai morrem em um acidente de carro. Ao menos é o que conclui a polícia e a família, mas na verdade, o pequeno Gang-hyeok é resgatado por um estranho e entregue para adoção. É assim que Gang-hyeok passa a chamar-se Ha-eun, e é criado pelo Sr. Seo (Kang Shin-il), na companhia da filha Eun-ha (Han Ji-min, de Rooftop Prince). 


O casal de irmãos postiços cresce, e o amor que sentem um pelo outro torna-se cada vez mais evidente. Ha-eun é um detetive de polícia muito encarnado no trabalho, igual ao pai do qual não guarda lembrança alguma. Eun-ha é uma jovem bonita e meiga, que infelizmente não teve condições de ir à universidade, e luta para conseguir um emprego fixo. Apesar da vida simples que levam, os dois são muito felizes na companhia um do outro.

A rotina da família Seo é abalada quando Ha-eun descobre ter um irmão gêmeo, e que o acidente de carro que sofreu na companhia do pai no passado pode ter sido na verdade um assassinato. Sem contar nada à Eun-ha, ele resolve encontrar-se com o irmão gêmeo, para tentar desvendar o mistério que os separou por tantos anos. A partir daí Ha-eun terá de enfrentar figuras poderosas da sociedade, entre políticos e empresários, envoltos numa trama de corrupção e assassinatos, e que foram responsáveis pelo trágico destino de sua família. Ha-eun, com seu senso agudo de justiça, jura vingança contra todos os homens que destruíram sua família, mesmo que para isso tenha de matar ou morrer...


So Yi-hyeon (Who Are You), em início de carreira, é a repórter Lee Kang-joo, filha do poderoso deputado Lee Tae-joon (Kim Kap-soo). As famílias de Yi-hyeon e Yoo Sin-hyeok sonham em unir o casal num casamento arranjado, mas nenhum dos dois parece muito inclinado em seguir a vontade dos pais. 


Ko Joo-won (The Legendary Witch) é Jeong Jin-woo, rival nos negócios de Sin-hyeok, e que acaba curtindo uma paixão não correspondida por Ha-eun. 


Lee Yeon-hee (Miss Korea) muito jovenzinha, faz uma pequena ponta como a irmã caçula de Sin Hyeok. 


Mas participação de luxo mesmo é a de Kim Yoon-seok, hoje um ator celebrado no cinema, com filmes premiados como The Chaser, The Yellow Sea, The Thieves, e os mais recentes, The Priests (2015), e Will You Be There (2016).


Resurrection certamente entra na lista de clássicos a serem conferidos pelos fãs dos dramas coreanos. E não deixem de ver os demais dramas da escritora Kim, especialmente The Devil e Kimchi Family, uma estória belíssima de união familiar através das delícias da culinária tradicional coreana.

3 comentários:

  1. Fran Oliveira11:41 AM

    Oi Sam, tudo bem?

    Resurrection me deixou com um gosto amargo na boca, eu ainda uma iniciante no mundo dos doramas, foi meu terceiro ou quarto drama, lembro que quando terminei de ver o ultimo capitulo, fiquei alguns minutos olhando para a tela do computador, me perguntando se aquele era mesmo o final, que eu detestei! Hoje nem lembro mais qual era o final, e já me acostumei com os finais não tão satisfatório dos dramas coreanos. Bem, aprendi a curtir a viagem sem me importar com o destino final.

    Bjos e até o próximo post!!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran,
      sabe que esta é uma das coisas que me agradam nos dramas (e mais ainda nos filmes) coreanos, a imprevisibilidade do enredo... Mas no caso de Resurrection - sem spoilers! - o final é até esperançoso... Já no drama The Devil, da mesma autora, a trama é surpreendente, mas certamente choca quem não gosta de finais tristes. Eu não me importo com finais trágicos, desde que faça sentido no contexto da trama, e não porque o autor não soube como acabar a estória.

      bjs,
      Sam.

      Excluir
    2. Fran Oliveira5:31 PM

      Sim, é verdade, mas eu acostumada as nossas novelas, e seus "finais felizes", foi um pouco chocante, talvez por isso tenha me marcado. The Devil, está no meu top dos dramas coreanos preferidos, eu amo aquele final, e para mim fez todo sentindo. É como você disse, se faz sentido dentro do contexto do drama, mesmo que eu não goste do mesmo, eu tendo a aceitar.

      Bjos Sam

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...