7 de set de 2015

The Berlin File (filme, 2013)


País: Coréia do Sul
Gênero: Ação, Drama
Duração: 120 min.

Direção e Roteiro: Ryoo Seung-wan
Produção: Kang Hye-Jung

Elenco: Ha Jeong-woo, Jeon Ji-hyun, Ryoo Seung-beom, Han Seok-kyu, Lee Kyoung-young, Kwak Do-won.

Resumo

Na capital alemã, Berlin, uma equipe de agentes secretos sul coreanos tenta rastrear as atividades suspeitas dos inimigos norte-coreanos, especialmente a compra no mercado negro de armas de guerra. Só que a guerra de espionagem acaba se transformando numa perseguição implacável a agentes dissidentes norte-coreanos.

Comentário

O diretor, roteirista e produtor Ryoo Seung-wan, apesar de ainda jovem, tem uma carreira longa e prolífica como cineasta. Sem fugir do gênero de ação, mas procurando variar o cenário de seus filmes, Ryoo Seung-wan tem o privilégio de contar com a admiração e respeito tanto de público como de crítica. Fica clara na obra do cineasta a influência do cinema de ação de Hong Kong – as artes marciais e o trabalho com dublês nas sempre vertiginosas cenas de ação são prova desta influência. Em seus primeiros filmes, com o orçamento apertado, Ryoo até mesmo chegou a dividir-se entre o trabalho de diretor e ator. Logo em seguida ele pôde contar com a ajuda do irmão mais novo, o ator Ryoo Seung-beom, presença constante em seus filmes (The Injust, Ararang). Ryoo Seung-beom, por sua vez, teve sorte de poder estrelar os filmes do irmão, o que contribuiu para consolidar sua carreira de ator no cinema sul coreano.

The Berlin File é um projeto ambicioso, mas nem por isso o mais brilhante de Ryoo Seung-wan. O roteiro tem furos imensos e nem mesmo o editor mais genial conseguiria disfarçar os problemas de continuidade (especialmente no terço final do filme). Mesmo assim, para quem é fã do cineasta, ou ainda, do cinema de ação asiático em geral, The Berlin File é um filme plenamente desfrutável. Quanto à estória em si, não é mais absurda do que qualquer episódio de James Bond, só para citar um exemplo. Pelo menos a ousadia de Ryoo Seung-wan na direção, com o apoio do cinegrafista Choi Young-Hwan, garante a qualidade do espetáculo. Outro ponto positivo dos filmes de Ryoo Seung-wan é o elenco – ele sempre consegue trazer os melhores atores para seus projetos – e em The Berlin File não é diferente.


A estória é a seguinte... Em Berlin, Alemanha, uma equipe do serviço de inteligência sul coreano, liderada pelo agente Jung Jin-Soo (Han Suk-Kyu, de Eye for an Eye) vigia um hotel onde está para acontecer uma negociação entre norte-coreanos e russos, para a compra de armas de guerra. Quando os agentes invadem o quarto do hotel onde está para ser acertada a transação ilegal, o negociador norte-coreano consegue escapar, não sem antes entrar em luta corporal com Jung Jin-Soo. No entanto, um novo encontro entre os dois irá acontecer em breve. 


O norte-coreano é Pyo Jong-Sung (Ha Jeong-woo), um agente de prestigio em seu país natal, por suas grandes ações de bravura no passado. O embaixador Lee Hak-Soo (Lee Kyoung-Young), alerta o agente Pyo Jong-Sung para a chegada iminente a Berlin de Dong Myung-Soo (Ryoo Seung-Beom), vindo da Coréia do Norte. Dong Myung-Soo é filho de um poderoso militar, e sua fama de assassino cruel desperta a preocupação dos compatriotas em Berlin. Enquanto isso, Pyo Jong-Sung tem de lidar com o desaparecimento de sua esposa, Ryun Jung-Hee (Jeon Ji-hyun), que trabalha como tradutora na embaixada norte-coreana.


A beleza áspera e o charme bruto de Ha Jeong-woo (The Client) nunca foram tão bem explorados como neste filme, e, sendo assim, as mocinhas podem suspirar com seus músculos, enquanto os rapazes admiram sua coragem inabalável. Diversão garantida toda a família (acima de 18 anos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...