29 de jul de 2014

Tudo bem, é o amor...


Fechando as contas dos dramas que acompanhamos neste último trimestre, fica a impressão de que muita coisa aconteceu, mas não é bem assim... Isto porque a expectativa gerada por vários dramas ficou frustrada por uma série de desfechos anticlimáticos. Nem vou incluir Doctor Stranger nesta lista, que foi uma grande decepção quase do início ao fim.  O que aconteceu nos bastidores deste drama resultaria num enredo muito mais emocionante do que o mix mal resolvido de drama médico com espionagem internacional. Ironicamente, o final de Doctor Stranger não foi surpreendente, ou frustrante; foi apenas um grande alívio que tenha se acabado - menos para os chineses, é claro, que terão o privilégio duvidoso de ver um filme (!) montado com sobras de rodagem, mais cenas extras, mas censurando tudo o que faça referência à Coréia do Norte. O cúmulo da ironia é que este era o projeto original oferecido pela produtora à SBS, um mero drama médico, com pitadas de romance, e que foi rejeitado veementemente pela rede de TV. Lembro-me de ter comentado antes de sua estreia, que era bom que DS não fosse mais um de muitos dramas médicos medianos que vinham passando nos últimos tempos... Antes tivesse sido assim!


Muito mais interessantes foram os dramas God´s Gift, Three Days e Gap Dong, embora a satisfação com seus finais também não tenham sido uma unanimidade entre os espectadores. Apesar de pequenos deslizes que possam ter ocorrido, eu recomendaria estes três dramas para qualquer um que goste de tramas policiais, de ação, ou dramas psicológicos. Three Days é o drama mais convencional entre os três, mas nem por isso me agradou menos. Apesar do ritmo frenético inicial ter sido desacelerado gradualmente, o envolvimento do elenco com seus personagens foi o que bastou (ao menos para mim) para que o interesse sobre a trama não esmorecesse. O ator Park Yoochun comentou em entrevista ter amado interpretar o agente Han Tae-kyung, e realmente, o personagem lhe caiu como uma luva.


Gap Dong foi um drama que me emocionou de forma muito pessoal, já que é inspirado em um de meus filmes favoritos, Memories of Murder (2003); tanto o drama como o filme são baseados em fatos reais, os assassinatos em série de Hwaseong. Em Gap Dong, o diretor Jo Soo-won volta a reunir-se com o ator Yoon Sang-hyeon, após o sucesso de I Hear Your Voice. Embora tenha patinado um pouco na reta final, Gap Dong é um drama impecável, muito acima da média. Entraremos em detalhes sobre esta produção em uma futura postagem...


O drama God´s Gift – 14 Days talvez tenha sido o mais impactante entre os três mencionados, e, por isso mesmo, o mais polêmico... E quando falo em polêmica me refiro ao tão esperado final da estória da jornalista Kim Soo-hyeon e da fantástica viagem no tempo para salvar a vida de sua filha, Saet-byeol. Em uma trama de fantasia, fica implícita a cumplicidade do público com o inesperado e o absurdo... Mas, por outro lado, o mínimo que se espera é que os personagens que acompanhamos com tanto interesse ao longo de 16 episódios se despeçam com um mínimo de dignidade. O problema não é o que aconteceu, mas a forma brusca e desnecessariamente implícita para apresentar este desfecho. Tenho duas teorias para este estranho fiasco: a primeira seria a produção ter contado com uma extensão da trama, o que não ocorreu, e por isso o final foi literalmente atropelado pelos fatos; a segunda teoria estaria relacionada com o trágico acidente ocorrido na Coréia, naquela mesma semana, envolvendo uma situação muito próxima ao destino dos personagens do drama, numa coincidência das mais infelizes. É uma destas situações desafortunadas em que a vida imita a arte, ou vive-versa. Tive a sensação de que a cena crucial que se passa no rio foi omitida propositalmente, e se foi o que aconteceu, não é algo que possa ser criticado, dadas as circunstâncias. De qualquer modo, é apenas uma ressalva, já que God´s Gift nos brindou com grandes atuações, especialmente de Lee Bo-yeong (I Hear Your Voice) e de Jo Seung-woo (Sword With No Name).


Se a SBS TV começou o ano tão bem, com dois dramas sólidos (Three Days e God´s Gift), pisou na bola logo na sequência, com Doctor Stranger, e tristemente, com You´re All Surrounded. Se Doctor Stranger era tão ruim que era divertido assistir, e fazer piadas sobre seu o enredo absurdo, You´re All Surrounded nem ao menos contou com o tempero de uma boa polêmica. Nem tão ruim que mereça ser desancado, nem tão bom que valha uma segunda chance, assim foi este soporífero drama policial. You´re All Surrounded carecia de todos os elementos típicos do gênero policial, como boas cenas de ação, e crimes complexos. Num balanço irregular entre a comédia, o melodrama e até uma pitada de romance, You´re All Surrounded ficou devendo em todos os quesitos. Sinceramente, se não fosse pela presença do ator Cha Seung-won, que amo de paixão, não perderia tempo com este drama fraquíssimo. Recomendo You´re All Surrounded apenas para fãs do gatíssimo Lee Seung-ki, que emprestou sua bela voz para a trilha musical do drama.


Quem estava no páreo com o maluco Doctor Stranger, e foi conquistando ao poucos a audiência até chegar à liderança é o drama Triangle (MBC), a melhor surpresa da temporada. Triangle é a estória de três irmãos, separados bruscamente na infância, mas reunidos pelo destino. Lee Beom-soo, Kim Jae-joong e Siwan estão tão bem em seus respectivos papéis, que é um prazer apenas vê-los em ação. Além disso, gosto muito do roteirista Choi Wan-kyu (Midas), por sua maturidade e pela e seriedade com que desenvolve suas tramas. Recomendo Triangle para quem gosta de melodramas sólidos, e pela atuação sensacional do ídolo pop, e que já pode ser considerado um grande ator, Kim Jae-joong.


Outro drama imperdível é o sageuk Joseon Gunman, com Lee Joon-ki. Na Joseon do século dezenove, Joon-ki é Park Yoon Kang, um jovem que troca a espada pelas armas de fogo, para vingar a morte do pai. Joseon Gunman e um drama muito bem ambientado, com uma estória incrivelmente divertida e envolvente, que combina ação, drama e romance, na medida exata. Lee Joon-ki e Nam Sang-mi formam (mais uma vez) um casal encantador, e tomara que tenham um final feliz, juntos, embora nunca se sabe o que pode acontecer quando se trata de um drama histórico.


E para quem está cansado de dramas de ação, restam poucas mas boas alternativas, com destaque para King of High School, e It´s Ok, That´s Love. King of High School já está em seus últimos capítulos e, portanto, pode ser recomendado, sem sombra de dúvida, como um grande drama. Divertido, romântico e enternecedor, é um daqueles dramas que aquecem a alma do espectador. Se alguém tinha alguma dúvida sobre o talento de Seo In-guk como ator, basta assistir King of High School para ver que ele definitivamente se encontrou neste papel. Na pele do adolescente Lee Min-suk, Seo In-guk é engraçado, sensível, sedutor, enfim, esbanja carisma. Parece que a energia emanada pela atriz Lee Ha-na (Alone in Love) contagiou todo o elenco, incluindo o charmoso Lee Soo-hyuk (White Christmas), que também surpreende como o melancólico chaebol Yoo Jin-woo.


Finalmente, temos It´s Ok, That´s Love, que estreou com dois episódios promissores. O elenco, a direção e a trilha sonora estão aprovados; a dúvida fica com a estória em si. Um drama que envolve, ao menos a principio, um número grande (o que é incomum) de personagens, o que pode ser interessante, ou simplesmente acabar diluindo e enfraquecendo a estória. Tudo vai depender do casal principal (Kong Hyo-jin e Jo In-seong) e do quanto seu romance irá nos impactar. O meu medo é a mão um tanto pesada da roteirista Noh Hee-kyeong (Padam, Padam), que não é muito fã de tramas convencionais... Por outro lado, pode ser bom não saber o que está por vir... Desde que não resulte em surto psicótico do espectador...

3 comentários:

  1. Doctor stranger foi pra mim uma decepção total, trama sem lógica nenhuma, parecia que o escritor estava a gozar com a cara dos telespectadores. Eu não recomendaria pra ninguém e o mais absurdo é que houve pessoas elogiando o drama. ahahah é mais um heirs com fama sem razão de as ter.
    Gostei muito de You all sorrounded, a estória é simples, não houve grande novidades no erendo mas no geral, o resultado foi bastante positivo. Adorei a mistura de comédia e drama.
    Agora o drama que eu ADOREI, SURTEI foi gods gift. Não vou comentar o final, pois poderia ter sido melhor mas não desgostei, fez até sentido num ponto, como fechou o ciclo dos acontecimentos, Adorei como eles explicaram os acontecimentos, realmente fez sentido, a única coisa que não fez sentido foi a morte do "Tal personagem".
    Gap dong estou no episódio 8 mas ainda não despertou-me o interesse. Estou a achar os acontecimentos a andar muito devagar, realmente estou a ponderar se continuo ou não, apesar de não gostar de deixar nada a meio.
    Adorei,iiiii padam padam, vamos ver se a escritora vai voltar surpreender-me...

    ResponderExcluir
  2. Its okay thats já me ganhou pela trilha sonora. Fim :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, Luppi, que trilha maravilhosa!
      Mas o drama também é muito bom, que elenco fantástico... só estou com receio de um final trágico, embora se trate de uma comédia romântica.
      Aconteça o que acontecer, certamente um dos melhores dramas do ano.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...