6 de abr de 2017

Romantic Doctor, Teacher Kim (drama, 2016)




País: Coréia do Sul
Gênero: drama médico
Duração: 21 episódios
Produção: SBS TV

Direção: Yoo In-sik
Roteiro: Kang Eun-kyeong

Elenco: Han Seok-Kyeo, Seo Hyun-jin, Yoo Yeon-seok, Jin Kyeong, Lim Won-hee, Kim Hong-fa, Choi Jin-ho, Yang Se-jong, Byeon Woo-min, Kim Min-jae, Joo Hyeon, Jang Hyeok-jin, Seo Eun-soo, Kim Hye-soo.

Resumo

Um cirurgião genial conhecido apenas como Prof. Kim, lidera uma equipe jovem de médicos, em um pequeno hospital do interior.

Comentário

Existem, genericamente, dois tipos de dramas médicos: os que versam sobre o exercício da medicina, e os que usam o tema como pano de fundo para melodramas românticos. Depois de alguns equívocos (Doctors, Doctor Stranger) o canal SBS finalmente conseguiu acertar o alvo, com Romantic Doctor, Teacher Kim, uma produção dramaticamente impecável. Outros canais têm veiculado dramas médicos muito mais interessantes (para quem aprecia enfoques mais realistas), especialmente a KBS2, com títulos importantes como Good Doctor, Brain, ou Beautiful Mind. Vale ressaltar dois dramas médicos excelentes da MBC: White Tower e Golden Time.

As glórias do sucesso de Romantic Doctor, Teacher Kim devem ser repartidas entre o diretor Yoo In-sik e a roteirista Kang Eun-kyeong. O PD Yoo In-sik, diretor veterano e celebrado, tem em seu currículo dramas como Bad Family, Giant, Mrs. Cop 1 e 2, e o drama médico Surgeon Bong Dal-hee (2007). Kang Eun-kyeong é autora respeitadíssima de muitos dramas de sucesso, entre eles, Hotelier, Dalja´s Spring, Bread Love and Dreams, e What Happens to My Family. Quem viu ao menos alguns de seus dramas, conhece sua versatilidade como escritora, e sua habilidade em desenvolver tramas com muitos personagens.

E porque Romantic Doctor, Teacher Kim calou tanto ao coração da audiência? O drama engloba várias subtramas, não deslocadas, mas devidamente interligadas, mas o grande tema central é a importância do humanismo e da dedicação dos profissionais da saúde, independente de suas funções. O acesso justo e eficiente à saúde não começa com o médico de cabeceira, mas com o CEO (no caso, uma lucrativa rede de hospitais), o diretor geral e os chefes de departamento de um centro hospitalar. Não adianta um médico desejar dar o melhor tratamento ao paciente, se as mínimas condições materiais lhe são negadas. Imagine um cirurgião brilhante, capaz de salvar centenas de vidas ao longo de sua carreira... Agora imagine que, por ganância financeira, ele seja designado apenas a atender os pacientes ricos e poderosos que chegam ao hospital? O Dr. Boo Yong -joo não concordou com esta imposição de seus superiores, e pagou um preço alto por sua insubordinação. O Dr. Prof. Kim (que abandona o nome de batismo Boo Young-joo) é um romântico, um rebelde com causa, que luta para não afogar-se nadando contra a corrente capitalista da sociedade em que vive.

Anos depois de ser expulso do Hospital Geosan, na capital, O Dr. Kim (Han Seok-Kyeo, Tree With Deep Roots, The Berlin File, Eye for an Eye, Christmas in August) encontra abrigo no Hospital Doldam, um centro clínico modesto, dirigido pelo simpático Yeo Woon-young (Kim Hong-fa, Pied Piper). Por coincidência, ou não, O Dr. Kim foi parar em um hospital que faz parte da rede médica do Hospital Geosan. Confinado no interior, o Hospital Doldam atende essencialmente pacientes da comunidade agrícola, e as vítimas de acidentes das rodovias que cruzam a região. E por causa do grande fluxo rodoviário, o pequeno hospital torna-se uma referência nos tratamentos de emergência. O Dr. Kim mal dá conta de atender tantos pacientes, mas aos poucos, alguns jovens médicos brilhantes passam a fazer parte da equipe do hospital. A novíssima equipe de cirurgiões do Hospital Doldam é composta por médicos ostracizados do Hospital Geodan, pelos mais diferentes motivos, mas estranhamente ligados ao passado conturbado do Dr. Kim.

A primeira a chegar ao hospital é a Dra. Yoon Seo-jeong (Han Seok-Kyeo, de Oh Hae-young Again), que é acolhida e tratada pelo Dr. Kim após sofrer um acidente que quase acaba com sua carreira de cirurgiã. O Dr. Kim torna-se mentor, ídolo e quase pai para a antes desesperançada Seo-jeong. Só que a chegada de um antigo (e mal resolvido) amor vai perturbar sua tentativa de levar uma vida calma e reclusa no interior. O Dr. Kang Dong-joo (Yoo Yeon-seok, de Mood of the Day) chega como um furacão ao Hospital Doldam, perturbando a Dra. Seo-jeong com lembranças indesejadas, e o Dr. Kim, com sua rebeldia e mau humor. Acontece que o jovem médico tem certa razão em sentir-se injustiçado, por ter sua carreira brilhante na capital interrompida pelo diretor do Hospital Geosan, o déspota Do Yoon-wan (Choi Jin-ho, de Mrs. Cop 2), que o descarta para dar lugar ao filho, o Dr. Do In-bum (Yang Se-jong).

Felizmente, aos poucos, apesar dos conflitos iniciais, o Dr. Dong-joo vai se adaptando ao ambiente caloroso do hospital Doldam, com sua equipe pequena, mas fiel, composta pelo simpático gerente Jang Ji-tae (Lim Won-hee, Strong Woman Do Bong-soon), a energética Enfermeira Chefe Oh Myeong-sim (Jin Kyeong, It´s Ok, This is Love), o doce enfermeiro Park Eun-tak (Kim Min-jae, Goblin), e o médico anestesista Dr. Nam Do-il (Byeon Woo-min).

Pena que o clima volta a ficar tenso quando o CEO Shin (Joo Hyeon), acionista majoritário do Hospital Geosan decide buscar ajuda do Dr. Kim para ser operado. Inconformado com o reaparecimento de seu inimigo, o diretor Do Yoon-wan despacha uma equipe “espiã” ao Hospital Doldam para tentar barrar a internação do CEO Shin. O Dr. Song Hyeon-cheol (Jang Hyeok-jin) e o Dr. Do In-bum são encarregados de tentar sabotar os planos do Dr. Kim de trazer melhorias para o modesto, mas necessitado hospital.

É este tipo de atitude mesquinha dos poderosos, muito familiar à nossa realidade, que gera uma revolta e uma desilusão imensas. Pior ainda é a atitude de certos médicos, que se esquecem do juramento básico de salvar os pacientes acima de tudo, para colocar um preço na vida humana. O Dr. Kim, ou Mestre Kim, como ele mesmo gosta de ser chamado, é um herói fora de moda, deslocado da realidade do século XXI, e por isso mesmo tão é encantador e atraente para o espectador. Se existissem mais seres altruístas como o Dr. Kim o mundo não seria um lugar muito melhor de se viver? É por isso que (SPOILER) achei genial a ideia da roteirista de introduzir, no último episódio (ou episódio especial), a Dra. Lee Young-jo (a fantástica Kim Hye-soo), uma médica membro da organização internacional Médicos Sem Fronteiras, tão ou mais abdicada à profissão que seu colega, o Dr. Kim. E sua missão no Hospital Doldam é uma forma exemplar de conduzir estes maravilhosos personagens a um caminho de esperança e de realização pessoal.

2 comentários:

  1. Oi Sam.
    Sempre digo que dramas poucos divulgados e subestimados pela mídia tendem a surpreender. Romantic Doctor foi um drama que realmente me deixou sem palavras.Me empolgou ,me fez rir,chorar e pensar muito mais sobre vida, morte, valores enfim, posso dizer que ao final eu tive uma grande lição e passei a ver médicos, pacientes de forma diferente. E lógico me fez ter um pouco mais de esperança de poder ver bons dramas médicos no futuro. Até agora só tinha me aventurado a ver Beautifull Mind e D DAY.
    Romantic Doctor trouxe uma mistura de drama, humor, suspense e uma delicia de romance. Achei que o enredo fluiu com perfeição, se considerarmos o tamanho do elenco onde praticamente todos os personagens tiveram seus cinco minutos de destaque ,mesmo tendo um elenco de protagonistas tão forte. E como me encantou ver um pouquinho da vida de cada paciente ser contada com delicadeza e sensibilidade, mesmo que de forma rápida.
    A princípio fui seduzida pela possibilidade de rever Seo Hyun Jin( que me fez amar muito Another Miss Oh) e Ahn Yeon Suk que me deixou curiosa desde Warm And Cozy.Não tinha visto ainda nenhum trabalho com o intérprete de Dr.Kim, o que é uma pena por que ele é ótimo mesmo. Depois dos dois primeiros episódios já esperava ansiosa pela exibição semanal. Quantas vezes me senti ali dentro daquela emergência sofrendo junto com médicos e pacientes e tentando encontrar uma saída para cada caso, esperança para cada vida...
    Como você citou na sua resenha,apesar das tramas e subtramas cheias de tantos sentimentos a humanidade e a solidariedade foram o foco deste drama e foi bom demais. Para mim o melhor drama de 2016,juntamente com Another Miss Oh.
    Obrigada pela super resenha Sam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrícia,

      Romantic Doctor é aquele tipo de drama que deixa saudades dos personagens...o último episódio foi muito emotivo (sem ser piegas), uma despedida que me deixou triste mas ao mesmo tempo satisfeita de ter desfrutado de mais um belo drama coreano. Eu sou fã de dramas médicos, mas este superou todas as minhas expectativas! Que venha o próximo...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...