31 de out de 2016

The Woman Who Still Wants to Marry (drama, 2010)




País: Coréia do Sul
Gênero: Romance
Duração: 16 episódios
Produção: MBC

Direção: Kim Min-sik
Roteiro: Kim In-yeong

Elenco: Park Jin-hee, Kim Beom, Eom Ji-won, Choi Cheol-ho, Wang Bit-na, Kim Yong-hee, Lee Pil-mo, Park Ji-yeong.

Resumo

Esta é a estória de três mulheres que são grandes amigas, mas que têm visões muito diferentes sobre relacionamentos amorosos e carreira profissional.

Comentário

Por incrível que pareça, são poucos os dramas coreanos que têm como tema a amizade feminina. Se os famosos “bromances” já são lugar comum na dramaturgia de TV, pode-se contar nos dedos os dramas com ponto de vista essencialmente feminista. A roteirista Kim In-yeong é uma das poucas escritoras que costuma reunir protagonistas do sexo feminino, sempre com temáticas muito atuais e instigantes. The Woman Who Still Wants to Marry é um remake do drama Marry Me (2004) da mesma autora. A princípio, era para ter sido uma continuação, mas com a impossibilidade de reunir o elenco original, optou-se por uma refilmagem repaginada do drama. Unkind Women (KBS, 2015) é outro drama de Kim In-yeong que aborda com muita inteligência e bom humor o mundo feminino, com um elenco que engloba três gerações de mulheres fortes e determinadas.

Kim Min-sik (Flower of the Queen, Gloria) dirige com firmeza o belo elenco de The Woman Who Still Wants to Marry (ou Still, Marry Me), especialmente o trio inesquecível de amigas, Park Jin-hee, Eom Ji-won e Wang Bit-na.

Park Jin-hee (Kimchi Family) é Lee Shin-young, uma repórter de TV de 36 anos. Após tantos anos dedicados à profissão, Shin-young não conseguiu atingir o sucesso almejado, e ainda corre o risco de ser demitida da rede de TV em que trabalha. Para piorar as coisas, seu longo noivado termina abruptamente, e ela não tem tempo ou disposição para envolver-se sentimentalmente com outro homem.

Eom Ji-won (Sign) é Jeong Da-jeong, 36 anos, uma mulher bonita e muito bem sucedida na profissão de tradutora e intérprete. Por outro lado, Da-jeong busca desesperadamente por seu príncipe encantado. Ela não esconde que seu objetivo principal na vida é encontrar o homem perfeito e casar-se com pompa e circunstância. Choi Cheol-ho (Queen of Housewives) é Na Ban-seok, doutor especializado em medicina chinesa, que conquista o coração da sonhadora Da-jeong.

Wang Bit-na (First Love Again) é a consultora de restaurantes Kim Boo-gi. Das três amigas, Boo-gi é a mais cínica sobre as supostas vantagens do casamento. Tanto que ela resolve descartar o noivo (e o relacionamento de 10 anos) e usar o dinheiro economizado para o casamento para fazer uma especialização em administração hoteleira na Suiça. Kim Yong-hee (My Love Eun-dong) é o homem que tem o azar de se apaixonar pela durona Boo-gi.

Kim Beom (Mrs Cop 2) é Ha Min-jae, 24 anos, estudante universitário (cursando administração de empresas) e músico talentoso. Apesar da vida confortável Min-jae gosta de cultivar a fama de “bad boy”, especialmente estre as mulheres. Quando um amigo leva um fora da repórter Shin-young, Min-jae decide provar suas técnicas infalíveis de conquista sobre ela. Só que Min-jae não contava com a dificuldade em seduzir a arisca Shin-young, e acaba apaixonando-se por ela, 12 anos mais velha que ele.

Lee Pil-mo (Pinocchio) é Yoon Sang-woo, ex-noivo de Shin-young, piloto da aviação comercial. Sang-woo é um cara romântico, que sabe como atrair o sexo oposto. Ele ainda gosta de Shin-young, mas suas tentativas de reconquistá-la são em vão, pois ela acaba de conhecer um homem bem mais novo e interessante. Frustrado, Sang-woo acaba tendo um caso com uma mulher mais velha e casada. Acontece que esta muher é a bela e madura Choi Sang-mi (Park Ji-yeong, de Jealousy Incarnate), mãe de Ha Min-jae.

Agrada-me particularmente o tratamento dado pela escritora Kim In-yeong a temas como a amizade, os desafios profissionais e o romance, na vida de mulheres adultas… Mulheres estas que se consideram maduras, mas que trazem muitos complexos e preconceitos da juventude, especialmente sobre o amor e o casamento.

As cenas mais divertidas e memoráveis certamente são as que envolvem as aventuras do trio de amigas – como no episódio da visita ao shaman, no qual elas acabam sendo impiedosamente assoitadas pelo vidente. Pena que, à medida que seus relacionamentos amorosos ganham importância, elas acabam se afastando um pouco, mas tudo faz parte do crescimento pessoal das personagens. Outro ponto importante do drama é transformar uma simples comédia romântica numa preciosa reflexão sobre os novos desafios nos relacionamentos entre mulheres e homens. Jeong Da-jeong, por ser a mais idealista, talvez seja a que mais se decepciona com a realidade não tão romântica do casamento. Kim Boo-gi é a mais resolvida em todos os âmbitos da vida, e não parece ser do tipo que se deixe dominar por uma paixão de ocasião. Eom Ji-won e Choi Cheol-ho formam um casal tão divertido quanto neurótico – o episódio da lua-de-mel frustrada é simplemente hilário!

Park Jin-hee e Kim Beom formam um casal romântico muito especial, e até hoje são meus personagens favoritos para ambos atores. O episódio em que Kim Beom pinta o cabelo para impressionar a amada é dos mais românticos já vistos em um drama. Lee Shin-young me parece ser o personagem com o qual a maioria das mulheres se identifica, pois ela deseja muito encontrar um companheiro para a vida, mas entende que sua realização profissional sempre será sua meta principal. Se o mesmo é natural para os homens, por que não seria para as mulheres, não é mesmo? Com tantos dramas constrangedoramente escapistas veiculados nos últimos meses, ver (ou rever) The Woman Who Still Wants to Marry é uma ótima reafirmação de que ainda existem estórias românticas e inteligentes a serem apreciadas por nós mulheres.

4 comentários:

  1. Acompanho sempre o blog e só agora percebi que a Yoon Eun-Hye anda meio sumidinha. O que aconteceu com ela??? Não vi nenhuma notícia dela nos últimos meses, anos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fer,

      Sabe que sou grande fã de Yoon Eun-Hye, e sinto muito a falta de vê-la de volta aos dramas.
      Depois da má recepção de Marry Him If You Dare (2013), ela fez apenas um “cameo” no filme Chronicle of a Blood Merchant (2015), e protagonizou After Love, uma co-produção China/SK, e cuja estreia foi adiada por tempo indeterminado – não há explicações sobre o motivo, mas especula-se sobre o temor a uma reação negativa do público coreano à presença do ator Park Si-hoo, envolvido em escândalo anos atrás. Irritada com as críticas dos fãs (que na Coréia gostam de se intrometer na vida de seus ídolos), Eun-hye refugiou-se na China, participando de vários programas de auditório, e até de um reality show de moda. Mas as notícias sobre sua volta são boas, pois ela anunciou recentemente que gostaria de voltar a fazer dramas em 2017. É esperar e torcer para que ela encontre um belo projeto!

      bjs,
      Sam.

      Excluir
    2. Sam, o sumiço da Yoon Eun-hye também tem a ver com um escândalo que ela se envolveu. Durante a participação no reality show de moda, um estilista acusou ela de ter plagiado uma das peças dele (uma acusação muito equivocada), o que causou uma reação negativa do público coreano. Eu acompanhei na época o programa, e ver o quanto foi difícil pra Eun-Hye continuar no reality, foi de cortar o coração.

      Excluir
    3. Oi Tatiane,

      sim, eu li a respeito, lamentável o incidente, especialmente porque os chineses relevaram a situação, enquanto que os coreanos, ao invés de serem solidários com a conterrânea, fizeram um verdadeiro linchamento midiático sobre a atriz.

      Mas tenho certeza de que ela voltará, seja no cinema ou na TV...

      bjs,
      Sam.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...