28 de fev de 2014

Officer of the Year (filme, 2011)


País: Coréia do Sul
Gênero: Policial, Comédia
Título Alternativo: The Apprehenders
Duração: 117 min.

Direção: Lim Chan-ik
Roteiro: Choi Jin-won, Lim Chan-ik, Yoon Soon-yong

Elenco: Park Joong-hoon, Lee Seon-gyoon, Lee Sung-min, Kim Jeong-tae, Choi Deok-moon, Joo Jin-moo, Lee Han-wi, Lee Won-hee.

Resumo

Na capital Seul, duas delegacias de polícia disputam entre si o título de número um na resolução de crimes violentos, e quase nunca jogando limpo...


Comentário

Uma das melhores comédias dos últimos tempos, Officer of the Year, consegue divertir sem cair no pastelão e, ao mesmo tempo, ser séria em alguns momentos, sem pieguice.

O filme começa com um narrador esclarecendo que os bairros de Seodaemun e Mapo abrigam uma enorme quantidade de bares e boates, o que atrai, consequentemente, crimes graves como tráfico de drogas e roubo. Alvo de constante pressão por parte dos oficiais superiores para atingir as metas de apreensão, os policiais de duas delegacias especializadas vivem em pé de guerra, competindo pelos melhores resultados. Os detetives da delegacia de Seodaemun são esforçados, mas seus métodos de investigação são um tanto caóticos...
Já a delegacia de Mapo é chefiada por Hwang Jae-seong (Park Joong-hoon), um policial de caráter obsessivo e determinado em estar sempre no topo. Sua tática é resolver os crimes que trazem mais pontos para a corporação, especialmente o tráfico de drogas. Para isto, Hwang conta uma rede de informantes dentro do mundo da contravenção, os quais ele protege numa troca pouco lícita de favores.


Os detetives da delegacia de Seodaemun parecem conformados com a inferioridade diante do esquadrão de Mapo... Até a chegada do novo chefe, Jeong Ee-chan (Lee Seon-gyoon), recém saído da academia de polícia. O det. Jeong não desperta muita confiança nos subordinados, com seu visual desleixado (o abrigo adidas e a boina de lã parecem colados ao seu corpo) e seu ar juvenil. A única preocupação real do det. Jeong é onde conseguir dinheiro para comprar um apartamento e casar com a noiva grávida. Ele é ameaçado diariamente pelo sogro, que não acredita na sua capacidade de sustentar uma família com o mísero salário de policial.


O det. Jeong só começa a agir seriamente ao ter dois meliantes capturados por ele (após atropelá-los por acaso, diga-se de passagem) literalmente roubados pelo det. Hwang. Furioso, Jeong descobre que o rival Hwang corre atrás da eficiência máxima em busca do título de “policial do ano”, o qual é agraciado não apenas com uma medalha, mas com um belo prêmio em dinheiro. Aí está o incentivo para o det. Jeong e sua equipe superarem finalmente a delegacia de Mapo.

O engraçado é que no começo da estória, você torce para que os simpáticos detetives da delegacia de Seodaemun consigam vingar-se dos rivais... Só que chega um momento em que é impossível não admitir que os policiais de Mapo não são apenas ambiciosos além da conta mas, simplesmente, ótimos profissionais.


Os atores Lee Seon-gyoon e Lee Sung-min fazem uma dupla deliciosamente divertida, parceria, aliás, que já se repetiu com grande sucesso nos dramas Golden Time e, mais recentemente, (a pérola) Miss Korea. Mas, para minha surpresa, o “duelo” entre Lee Seon-gyoon e Park Joong-hoon não ficou atrás em termos de empatia. Mas também não é de admirar, já que o ator Lee Seon-gyoon (que recebeu o apelido carinhoso das fãs de “The Voice”), além de supercarismático, é um queridão!


E, como costuma acontecer nos filmes coreanos, o elenco é recheado de figurinhas tarimbadas... Veteranos como Lee Han-wi (presente em um de cada três dramas coreanos), o “cara de buldogue” Joo Jin-moo, ou o comediante Lee Won-hee (em uma participação hilária, como o lunático Dr. Ko).


E, para finalizar, gosto sempre de destacar o currículo da produção que, neste caso é composta de gente multitalentosa. Lim Chan-ik, além de diretor, é editor, ator e roteirista e recebeu, merecidamente, por este filme o prêmio de Melhor Novo Diretor, no PaekSang Arts Awards, em 2012. Ele foi editor de outra ótima comédia, The Wedding Campaign, e trouxe o roteirista Yoon Soon-yong deste filme para ser seu parceiro no roteiro de Officer of the Year. Atualmente Lim Chan-ik está na TV, dirigindo o drama Cheo Yong: The Paranormal Detective. O terceiro roteirsta de Officer of the Year, Choi Jin-won, também está de volta à TV, a cargo do drama Big Man, com Kang Ji-hwan, que  estreia este ano.

14 de fev de 2014

I Need Romance 3 (drama, 2014)


País: Coréia do Sul
Gênero: Romance
Duração: 16 episódios
Produção: tvN

Direção: Jang Yeoung-woo
Roteiro: Jeong Hyeong-jeong

Elenco: Kim So-yeon, Seong-joon, Nam Goong-min, Wang Ji-won, Park Hyo-joo, Yoon Seung-ah, Park Yoo-hwan.

Resumo

Shin Joo-yeon é uma produtora de um canal de TV de compras. Quando jovem, ela tinha uma personalidade alegre e otimista, mas as desilusões da vida a tornaram uma mulher que teme as próprias emoções... Até o dia em que Joo-wan, um músico bem sucedido surge, trazendo a Shin Joo-yeon, lembranças do passado, e a esperança de um amor futuro...

Comentário

Um dos dramas mais comentados de 2011 foi I Need Romance, uma aposta acertada da tvN ao produzir séries voltadas para um público adulto e menos conservador. Comparações não faltaram entre I Need Romance e séries gringas como Sex and the City, que abordavam os anseios típicos da mulher independente do século XXI. E embora não tenha sido tão ousado quanto as produções do gênero norte-americanas, I Need Romance fez sucesso por sua abordagem mais liberal (e realista) da vida sexual da mulher coreana da cidade grande. No ano seguinte, o canal de TV a cabo veio com a “continuação” I Need Romance 2, com novo elenco, e novos dramas românticos. Infelizmente, esta segunda temporada deixou a desejar, tanto em termos de elenco quanto de enredo. Sendo assim, foi com desconfiança, mas com uma pitada de esperança (especialmente devido ao elenco anunciado) que fui conferir a estreia de I Need Romance 3. Com dez episódios (de 16) que passaram voando, dá para garantir que esta é a melhor temporada até o momento. Com um clima mais romântico que sedutor, o drama nos envolve com personagens bonitos e carismáticos, em igual medida.

Apesar do romance ‘noona-donsaeng’ já estar um tanto ‘batido’, o casal principal (Kim So-yeon e Seong-joon ) nos conquista já no primeiro episódio. O fato dos dois terem se conhecido quando ele era apenas um bebê e ela era sua babá pode parecer, à primeira vista, uma tentativa de ousar e escandalizar, mas não é o caso, muito pelo contrário... O drama nos mostra, pouco a pouco, como a relação entre estes dois irá se reestabelecer, a partir de uma forte ligação emocional do passado, que nem o tempo pôde apagar.

O que mais gostei em INR3 foi o equilíbrio entre romance, comédia, e uma pitada de drama. A estória tem um ritmo agradável, deixando que os personagens se revelem gradualmente, dando tempo para que possamos compreender suas escolhas de vida. A roteirista Jeong Hyeong-jeong é autora solo das três temporadas de I Need Romance, e seu trabalho vem crescendo muito em qualidade com o passar do tempo. E Jang Yeoung-woo também havia dirigido I Need Romance 2, com muita competência, diga-se de passagem.

A atriz Kim So-yeon está mais linda do que nunca, e lhe cai muito bem o gênero comédia romântica. Admirei esta atriz desde a primeira vez que a vi, no drama Gourmet, e ela segue me surpreendendo, por escolher sempre papéis muito diferentes um do outro, tanto no cinema (Gabi), como na TV (Doctor Champ, Two Weeks). E o jovem Seong-joon, apesar de ainda estar engatinhando na profissão, também tem mostrado sua evolução como ator, a cada novo papel... Sem mencionar que seu charme e beleza são irresistíveis!

Muitas reviravoltas ainda nos esperam nos últimos capítulos deste romance, mas acho que I Need Romance 3 tem tudo para ser um dos bons dramas do ano, que está apenas começando...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...