26 de jun de 2013

Confession of Murder (filme, 2012)



País: Coréia do Sul
Gênero: Thriller, Policial
Duração: 119 min.

Direção e Roteiro: Jeong Byeong-gil

Elenco: Jeong Jae-yeong, Park Si-hoo, Jeong Hae-gyoon, Kim Yeong-ae, Choi Won-yeong, Kim Jong-goo, Jo Eun-ji, Woo Yong, Min Ji-ah.

Resumo

O detetive Choi Hyeong-goo persegue um assassino em série de mulheres, mas o deixa escapar, depois de uma luta brutal, em que acaba com o rosto marcado por uma cicatriz. Quinze anos se passam e, com a prescrição do crime, surge Lee Doo-seok, reivindicando a autoria dos assassinatos. E ele vira uma celebridade nacional ao lançar uma autobiografia relatando detalhes dos crimes cometidos.

Comentário

Confession of Murder (o título coreano é I am the Murderer) é o segundo filme do diretor Jeong Byeong-gil, que volta ao tema de ação, mas desta vez com uma estória fictícia, de sua autoria. Action Boys (2008), o primeiro filme do diretor Jeong, é um documentário sobre dublês que sonham em se tornar atores de filmes de ação.

O detetive de polícia Choi Hyeong-goo (Jeong Jae- yeong) é um profissional competente, mas torna-se obsecado em apanhar um assassino serial. Seus motivos são tanto pessoais quanto profissionais, como nos é revelado ao longo da estória. Em um último confronto espetacular e brutal, Choi Hyeong-goo é ferido, e nem ao menos consegue ver o rosto do assassino.

Quinze anos depois, com a prescrição do crime, eis que surge um jovem de nome Lee Doo-seok (Park Si-hoo, de The Princess’ Man), assumindo a autoria dos assassinatos das jovens. Para provar ser o verdadeiro assassino, ele lança um livro contando os detalhes mais escabrosos das mortes, e acaba virando uma celebridade instantânea. As pessoas ficam estranhamente fascinadas com a beleza de Lee Doo-seok, e querem acreditar em sua redenção. Ele vai à casa dos familiares das vítimas para pedir perdão, e doa parte dos lucros com a venda do livro a entidades assistenciais.

O detetive Choi, obviamente, não se deixa convencer pelas manobras midiáticas de Lee Doo-seok. Na verdade, o policial não parece convencido de que o belo jovem seja o criminoso que marcou seu rosto à faca, quinze anos atrás. E enquanto ele investiga as intenções de Lee Doo-seok, as famílias das jovens mortas se unem para planejar uma vingança.

Fiquei agradavelmente surpresa com o fato de Confession of Murder ser um filme tão divertido, mesmo com um tema tão pesado. Parece que o diretor Jeong Byeong-gil inspirou-se em trabalhos de roteiristas como Jang Jin (Righteous Ties), ou Kim Hee-jae (Silmido), que gostam de inserir um toque de humor em seus thrillers. Mesmo nas cenas de ação mais impressionantes – como na luta sobre o capô de um carro em alta velocidade – o diretor parece debochar dos excessos das cenas de ação dos filmes norte-americanos.

A primeira cena do filme já nos faz prender a respiração e arregalar os olhos, com uma perseguição a pé por becos escuros, em uma noite chuvosa. E quando a estória parece enveredar por um caminho mais sério, o ritmo frenético de animê toma conta da tela, e é impossível não se divertir com as cenas de perseguição e as reviravoltas surpreendentes da trama.

Apesar de fã incondicional de Jeong Jae-yeong (Someone Special), estava com medo de assistir Confession of Murder, depois do fiasco do último filme protagonizado pelo ator, o insosso Countdown. Mas felizmente, foi apenas uma pequena mancha na carreira brilhante do querido Jeong Jae-yeong. Em Confession of Murder ele volta à forma em um papel que sempre lhe cai tão bem, o de policial durão. Já as fãs do bonitinho Park Si-hoo podem se assustar um pouco com seu papel de sociopata – seu sorriso fixo é perturbador – mas temos de cumprimentá-lo por aceitar o desafio de encarar um personagem tão antipático.

Além da direção brilhante, o filme conta com um elenco grande e de primeira, com aqueles atores coadjuvantes que conhecemos bem tanto do cinema quanto da TV - Jo Eun-ji (Personal Taste), Min Ji-ah (All About My Romance), Woo Yong (Virus), entre outros – formando um casting dos mais divertidos.

Só lamentei não poder assistir o filme na tela do cinema, para poder desfrutar melhor das cenas de ação. Por isso é bom ver o filme em uma tela de TV o maior possível, de preferência acompanhado de um baldão de pipocas!

25 de jun de 2013

Heartless City (drama, 2013)



País de origem: Coréia do Sul
Gênero: drama, policial
Duração: 20 episódios
Produção: JTBC

Direção: Lee Jeong-hyo, Jang Yong-woo
Roteiro: Yoo Seong-yeol

Elenco: Jeong Kyeong-ho, Lee Jae-yoon-I, Nam Gyoo-ri, Kim Yoo-mi, Son Chang-min, Choi Mo-seong, Kim Byeong-ok, Ko Na-eun, Yoon Hyeon-mi.

Resumo

Heartless City conta a estória do confronto entre o poderoso império das drogas e a polícia coreana. Nesta guerra, a linha que separa os bons dos maus é muito tênue... Muitos serão sacrificados, tanto em nome da justiça quanto pela sede de poder e vingança.
 


Comentário (com mínimos spoilers)

Finalmente surge um drama excitante, em um ano que vinha decepcionando, ao menos em termos de criatividade. Mas podemos respirar aliviados, pois junto com I Hear Your Voice, Heartless City (ou Cruel City) tem tudo para agradar aos fãs de dramas mais exigentes.

O canal JTBC reuniu um elenco muito interessante – e porque não dizer, surpreendente – para este drama policial com toques de noir. No comando do drama temos dois diretores: o jovem Lee Jeong-hyo, do drama I Need Romance 2, e o experiente cineasta, produtor e roteirista Jang Yong-woo (Nineteen, filme; If Tomorrow Comes, drama). Yoo Seong-yeol, é um roteirista novato, mas já mostra um talento excepcional, com uma estória envolvente e com personagens complexos.

Mas quem são os personagens de Heartless City? Jeong Si-hyeon (Jeong Kyeong-ho, de Smile, You), vulgo Doutor, é o caso clássico do órfão que aprendeu nas ruas sobre a dura realidade da vida. Uma parte de sua infância é passada em um orfanato católico, mas sua educação principal vem do convívio com uma prostituta e seu amigo traficante. Jeong Si-hyeon cresce e se torna um gerente do tráfico de drogas. Sua ambição logo o faz entrar em confronto com seu superior, um traficante cruel conhecido como “Escama” (Kim Byeong-ok, o vilão de cabelo oxigenado de When It´s at Night).


A amiga mais antiga do Doutor é Lee Jin-sook (Kim Yoo-mi), que constrói seu império de prostituição, tornando-se uma cafetina rica e influente na capital.

Moon Deok-bae (Choi Mo-seong), vulgo Safari, é o homem que introduziu Jeong Si-hyeon no mundo do crime. Agora ele é o braço direito do principal fornecedor de drogas da região. O poderoso lorde do tráfico, conhecido como Pusan (por residir na cidade litorânea de mesmo nome), ordena que Safari vá a Seul para assumir os negócios. Mas para isso, Safari terá que se livrar dos antigos amigos Jeong Si-hyeon e Lee Jin-sook.

De olho nesta guerra pelo poder está a polícia de Seul, e uma equipe especial é formada para prender os traficantes de drogas. O líder da equipe é Ji Hyeong-min (Lee Jae-yoon-I), um jovem policial que passou um tempo trabalhando como promotor público. Agora de volta ao trabalho de detetive, ele está determinado a acabar não apenas com os traficantes, mas também com a corrupção policial.


Lee Kyeong-mi (Ko Na-eun) passou a vida em um orfanato e batalhou sozinha para ser uma policial. Ela namora Ji Hyeong-min, que se preocupa com o caráter impulsivo dela. Com um pensamento um tanto machista, mas também movido por seu amor, Ji Hyeong-min tenta afastar a noiva das missões mais perigosas, mas sem sucesso.

Yoon Soo-min (Nam Gyoo-ri, de 49 Days) conhece Lee Kyeong-mi no orfanato, e a trata como irmã mais velha, já que a policial é a única pessoa que se preocupa com seu bem estar. Apesar de sua rebeldia, Yoon Soo-min tem um bom coração, e luta para ganhar a vida como atendente em uma loja de conveniência.


Min Hong-gi (Son Chang-min) é um chefe de polícia aparentemente íntegro, mas que tem uma relação nebulosa com certos criminosos, relação esta que será revelada ao longo da trama.

Kim Hyeon-soo (Yoon Hyeon-mi) é o braço direito e melhor amigo do Doutor. Ele é um playboy boa vida, mas que também tem seu lado cruel e vingativo.

Heartless City tem uma trama de suspense envolvente e os spoilers podem estragar o prazer de assistir este drama. Sendo assim, aconselho a evitar maiores revelações - assista o primeiro episódio e veja se lhe agrada. Entretanto, vale a pena comentar algo sobre o elenco. Quem não levou fé no ator Jeong Kyeong-ho interpretando um traficante de drogas, se enganou. Apesar de seu ar ainda juvenil (mesmo depois de uma temporada no quartel) Jeong Kyeong-ho simplesmente arrasa no papel de criminoso. Jeong Si-hyeon é um personagem complexo, de muitas caras... Ele é frio e cruel com os adversários, mas tem seu lado sedutor com as mulheres, e frágil diante do peso do passado, e dos muitos segredos que carrega. Sem dúvidas o drama não seria o mesmo sem a sua presença.

A escolha de Nam Gyoo-ri como protagonista feminina também surpreendeu a muitos, mas acho que ela está dando conta do recado, e muito bem. Apesar da pouca experiência, Nam Gyoo-ri tem potencial para tornar-se uma boa atriz. Seu personagem no drama 49 Days me agradou muito, na época. E sua boa química com o ator Jeong Kyeong-ho é outro ponto positivo do drama. Aliás, no primeiro teaser do drama já dá para sentir o romance épico que está por vir...
 

20 de jun de 2013

Na Cozinha com os Dramas



Um dos temas favoritos dos roteiristas de dramas coreanos e japoneses é a culinária. Talvez seja pelo colorido do cenário, ou simplesmente porque todo mundo adora ver e falar sobre comida. E se normalmente em qualquer drama já ficamos com água na boca com as refeições que os personagens saboreiam no dia a dia, assistir um drama com temática gastronômica é um perigo para qualquer dieta!

Obviamente não dá para listar todos os dramas do gênero já produzidos, mas vou citar alguns que fizeram sucesso, e fizeram o povo literalmente ‘babar’...

Quem aprecia a culinária italiana ou a francesa vai adorar os pratos servidos à mesa dos dramas Pasta (2010) e Hungry! (2012).


O drama coreano Pasta traz Lee Seon-gyoon (Golden Time) como o chef de cozinha Choi Hyeon-wook, misógino, ditatorial, mas que seduz a ingênua aprendiz Seo Yoo-kyeong (atriz Kong Hyo-jin, The Greatest Love). Quantas vezes a ouvimos exclamar com lealdade fervorosa “Yes, Chef!” (na verdade ela pronunciava ‘chep’, o que era engraçado e ao mesmo tempo adorável). Mas por que diabos é tão difícil preparar um macarrão ao alho e óleo?!... É a dúvida que ficará para sempre em nossas mentes...


O clima é bem mais agradável no restaurante Hungry! (2012), com sua mistura inusitada de culinária francesa e funcionários com atitude rock and roll. Eisuke (Mukai Osamu) é filho de uma chef, dona de um restaurante francês. O rapaz chega a cursar gastronomia, mas seu sonho é ser roqueiro. Quando a mãe de Eisuke morre subitamente, e com uma carreira musical que não decola, ele resolve assumir o negócio da família. Um drama de sabor picante, graças ao super sexy Mukai Osamu!


Outras delícias gastronômicas imperdíveis: Flower Boy Ramyun Shop (2011), Dinner (2013).

Agora, os que preferem uma boa pâtissier podem se deleitar com as tortas, cupcakes e doces em geral da confeitaria Panda and the Hedgehog (2012). O confeiteiro Ko Seung-ji (Lee Dong-hae) conquista a proprietária do Café Panda, Pan Da-yang (Yoon Seung-ah) com seus quitutes maravilhosos, e com seu ar de bad boy. Alerta para níveis extremos de doçura!


Em My Name is Kim Sam Soon (2005) a atriz Kim Seon-ah (em papel inesquecível) é uma jovem de origem humilde, que sonha em ser uma grande confeiteira. E é no restaurante de Hyeon Jin-heon (Hyeon Bin, de Secret Garden) que Kim Sam Soon vai realizar seus sonhos mais doces…


Não perca também as receitas de: Bread, Love and Dreams (2010), Ando Natsu (2008).


Para que fazer um curso de enologia se você pode se divertir assistindo Terroir (2008), ou Kami no Shizuku? O empresário Kang Tae-min (Kim Joo-hyeok, de Gu-am Heo Joon) é apaixonado por vinhos e abre o restaurante Terroir, com a ajuda de Lee Woo-joo (Han Hye-jin, de Thorn Birds) uma jovem que sonha em produzir vinhos em seu país, apesar da pouca tradição local.
 
 
Já no drama japonês Kami no Shizuku (2009) acompanhamos a saga do jovem Kanzaki Shizuku (Kamenashi Kazuya, Yamato Nadeshiko Sichi Henge), que precisa por à prova seus conhecimentos sobre enologia, para poder herdar a preciosa coleção de vinhos de seu falecido pai.


Para uma aula de culinária tradicional, a dica é viajar ao interior para conhecer a cozinha de uma família especializada em preparar kimchi, no drama Fermentation Family (2012). Um melodrama que traz lindas paisagens, e ótimo elenco (Song Il-guk, Park Jin-hee e Kang Shin-il).
 
 
No belíssimo drama Gourmet (2008), a cada episódio é revelado um segredo sobre a variada e saborosa culinária coreana. É uma aventura gastronômica inesquecível. Um drama imperdível, com Kim Rae-won (A Thousand Days´ Promise), Nam Sang-mi e Kim So-yeon (Dr. Champ).


A tradição continua em: Shinya Shokudo (2009).

17 de jun de 2013

Dating Agency: Cyrano (drama, 2013)



País de origem: Coréia do Sul
Gênero: comédia romântica
Duração: 16 episódios
Produção: tvN

Direção: Kang Kyeong-hoon
Roteiro: Shin Jae-won

Elenco: Lee Jong-hyuk, Choi Soo-young, Hong Jong-hyeon, Joo Yoon-woo, Lee Cheon-hee, Ha Yeon-ju, Kim Jeong-hwa.

Resumo

A Agência Cyrano é formada por uma equipe muito especial de detetives, que ajudam seus clientes a encontrar o amor.

Comentário

O canal de TV a cabo tvN está se especializando em dramas ‘fofos’, românticos e divertidos, como a série dos Flower Boys (FB Ramyen Shop, Shut Up FB Band, e FB Next Door). Flower Boy, Love Manipulation foi o título originalmente sugerido para este novo drama, mas o canal acabou optando por Dating Agency: Cyrano, em referência ao filme original (Cyrano Agency, 2010). O PD Kang Kyeong-hoon, mais experiente como editor, dirigiu o ótimo Joseon X-files (2010). Shin Jae-won é o roteirista de Tamra, the Island (2009).

Como no filme que inspirou o drama, um diretor de teatro resolve juntar sua trupe em um negócio muito original: uma agência de namoros com ares de agência de detetives.

Seo Byeong-hoon (Lee Jong-hyuk, de Gentleman´s Dignity, Chuno) é o diretor da agência Cyrano. Apesar de desempenhar o papel de cupido moderno, Seo Byeong-hoon é, aparentemente, um homem cínico, que só pensa em dinheiro. Mas aos poucos ficamos sabendo que ele era um diretor de teatro de sucesso, até a morte de seu melhor amigo. Com a perda do amigo, ele resolve se afastar da carreira artística, evitando também encontrar-se com Yoon Yi-seol (Kim Jeong-hwa), o primeiro amor de sua vida.

Fazem parte da equipe de ‘agentes do amor’, Moo-jin (Hong Jong-hyeon), um jovem caladão, especialista em gadgets de espionagem, e o adolescente Ah-rang (Joo Yoon-woo), que sonha em ser ator de teatro.

Gong Mi-yeong (Choi Soo-young, cantora do Girls´Generation) é uma jovem alegre e otimista, que trabalha em uma agência de matrimônios tradicional. Por viver quebrando as regras da empresa, ela acaba pedindo demissão, e entrando para a agência Cyrano.

Em frente à Agência Cyrano temos um restaurante administrado pelo chef Cha Seung-pyo (Lee Cheon-hee). O pessoal da agência costuma frequentar o restaurante, e o chef acaba até dando uma força em algumas missões. Só que Cha Seung-pyo é um homem misterioso, que parece ter segundas intenções com relação ao diretor Seo Byeong-hoon. Hye-ri (Ha Yeon-ju), a nova garçonete do restaurante, é uma garota alegre e extrovertida, que logo se interessa pelo tímido Moo-jin.


O início do primeiro episódio de Dating Agency: Cyrano me entusiasmou, com a aparição especial do casal Ji Jin-hee (He Who Can´t Marry) e Lee Cheon-ah (Flower Boy Ramyen Shop). Mas o caso seguinte não foi tão interessante, com um casal alvo muito chato. Apesar de ter gostado de Lee Yoon-Ji no drama King 2 Hearts, achei seu personagem aqui, a bibliotecária Ma Jae-In, muito insosso. E a atuação de Lim Hyung-Joon, como o veterinário Jin Joon-Hyuk, também não impressiona.

Mas o primeiro caso resolvido serve ao menos para conhecermos a metodologia da agência de namoros (para os que não viram o filme original), e também para mostrar a interação entre a nova equipe. Felizmente, o caso seguinte é bem mais divertido, e os personagens principais começam a revelar suas ‘neuroses’ pessoais. O que mais agrada neste drama sem dúvida alguma é o embate (verbal e físico) entre Seo Byeong-hoon e Gong Mi-yeong. Apesar do choque entre duas personalidades tão opostas, a química é forte e instantânea. A atriz novata Choi Soo-young (The 3rd Hospital), mais conhecida como cantora do grupo feminino de beldades Girls´Generation, até que tem se saído bem no papel, graças ao seu charme natural, e a um bom ‘timing’ cômico. Ajuda , é claro, contracenar com um ator experiente e receptivo como Lee Jong-hyuk. Aliás, que sorriso mortal tem o rapaz (com todo respeito, já que o ator é casado,e com filhos).

Gosto muito também do ator Hong Jong-hyeon, grande presença no thriller White Christmas. Seu personagem Moo-jin é tão calado e quase robótico em termos de expressão e emoção, que ainda não entendi se o efeito é para ser cômico ou trágico, mas acho que as coisas vão mudar com a chegada de um interesse romântico para o rapaz. E temos o ator Joo Yoon-woo, que ficou conhecido pelo drama Flower Boy Ramyen Shop. Joo Yoon-woo tem um ar angelical adorável, e o personagem Ah-rang é perfeito para ele; só falta um pouco mais de experiência ao jovem ator, o que certamente deve vir com o tempo. Já o galã Lee Cheon-hee não me impressionou até o momento com o personagem do chef Cha - o ator é bonito, alto (1,92) e tem uma carreira estabelecida no cinema e na TV. Acho que ele podia se soltar um pouco mais já que, apesar do mistério do personagem, não parece que ele vá se revelar um vilão na trama.

De qualquer modo, o drama vem crescendo em qualidade, e o clima esquentou no episódio 5, com a aparição do primeiro e grande amor de Seo Byeong-hoon, a bela Yoon Yi-seol. Chegou a hora do cupido levar sua flechada!
 

6 de jun de 2013

The Virus (drama, 2013)



País de origem: Coréia do Sul
Gênero: Drama, Suspense
Duração: 10 episódios
Produção: OCN TV

Direção: Choi Yeong-soo
Roteiro: Lee Myeong-sook

Elenco: Eom Gi-joon, Lee Ki-woo, Lee So-jeong-I, Ahn Seok-hwan, Jo Hee-bong, Yubin, Oh Yong, Song Young-kyu.

Resumo

O Dr. Lee Myung-Hyun é o chefe do CDC (Control Disease Centre), e lidera a equipe responsável por responder às crises que envolvem doenças infecciosas graves. Com a detecção de um vírus desconhecido e letal na cidade, o CDC é chamado para investigar o caso.

Comentário

Quem conhece séries de sucesso deste canal da TV a cabo coreana, como Vampire Prosecutor, ou o fantástico drama policial Special Affairs Team Ten, poderia deduzir que The Virus esteja no mesmo nível, o que, infelizmente, não é o caso. Fica claro, já nas primeiras cenas deste drama, que os recursos financeiros e de pessoal são muito limitados. Com um tema relativamente complexo a ser abordado, não basta ser criativo, e uma boa verba conta muito. Hoje em dia, os efeitos especiais são uma necessidade básica em qualquer produção de ação, e sem dinheiro fica complicado... Some-se a isso a inexperiência do diretor Choi Yeong-soo, e da roteirista Lee Myeong-sook. Que eu saiba, ela nunca havia escrito algo no gênero suspense - Lee Myeong-sook ficou conhecida com o drama romântico Heartstrings. E por coincidência, na mesma época estreou um drama de tema similar, At the End of the World, da jTBC, e que foi considerado muito superior a The Virus.

Sendo assim, vale a pena assistir The Virus? É claro que sim, deixando as grandes expectativas de lado. Primeiro, é um quase um mini-drama, com apenas 10 episódios, que podem ser assistidos em ‘maratona’ de duas ou três partes. Segundo, o drama nos envolve e gera um suspense natural, por seu tema atual e realista – as últimas notícias de um novo vírus surgido na China acabaram até fazendo parte da trama. E fiquei curiosa em ver este drama ao saber que o ator Eom Gi-joon seria o protagonista e herói da estória. Ele havia se saído muito bem como vilão no drama Ghost.

Eom Gi-joon é o Dr. Lee Myeong-hyeon, um homem sério e dedicado ao trabalho no centro de controle de doenças de Seul. Um incidente trágico do passado o fez perder a filha – ironicamente vítima de um vírus da gripe – e, consequentemente, separa-se da mulher. Go Soo-gil (ator Jo Hee-bong, de I Do, I Do) é o melhor amigo de Lee Myeong-hyeon, e seu assistente de investigação. Completam a equipe o cientista Bong Seon-dong (Park Min-woo, de Flower Boy Ramyen Shop), a especialista em IT Lee Joo-yeong (Yubin, do grupo Wonder Girls, em seu primeiro trabalho como atriz), e a nova funcionária Jeon Ji-won (Lee So-jeong-I).

A equipe do CDC é ativada pelo ministro da saúde Kim Do-jin (Ahn Seok-hwan, de BIG) quando várias pessoas aparecem mortas, contaminadas por um vírus desconhecido e extremamente agressivo. Em menos de 48 horas as vítimas vem a falecer ao apresentar sintomas de gripe comum, mas que são agravados até um estado de hemorragia incontrolável. É uma morte chocante, e o pior, o vírus é altamente contagioso. O diretor Lee Myeong-hyeon e seu time começam a investigação e logo descobrem que a fonte contaminante é Kim Il-cheol (Kim Hyeon Woo) um jovem que teria fugido de um hospital psiquiátrico que foi destruído por um incêndio. O problema é encontrar o rapaz, que anda à solta pelas ruas de Seul, contaminando dezenas de pessoas no caminho.

O objetivo do CDC é capturar e isolar Kim Il-cheol, que é imune ao vírus. Com a ajuda do Dr. Kim Se-jin (Lee Ki-woo, de Flower Boy Ramyen Shop) eles pretendem produzir uma vacina para conter o vírus e evitar centenas de mortes. Mas logo a tarefa se mostra complicada, pois interesses políticos e financeiros muito maiores se interpõem entre os heróis do CDC e o controle da epidemia.

Questionado em entrevista recente se voltaria ao papel do Dr. Lee Myeong-hyeon, em uma segunda temporada do drama, o ator Eom Gi-joon não pareceu muito entusiasmado com a ideia. Ele colocou como condição a qualidade do novo roteiro, e melhores condições de trabalho no set de filmagens. Segundo ele, foi cansativo gravar tantas cenas de ação (o ator aparece em grande parte das cenas), a maioria rodadas à noite, e sem refeições quentes fornecidas ao elenco - Eom Gi-joon até contou que tinha de preparar um macarrão instantâneo, para não passar fome durante as gravações... É, nem sempre é glamorosa a vida de ator.

4 de jun de 2013

All About My Romance (drama, 2013)



País de Origem: Coréia do Sul
Título alt.: Everything About My Relationship
Gênero: comédia romântica
Duração: 16 episódios
Produção: SBS TV

Direção: Son Jeong-hyeon
Roteiro: Kwon Ki-yeong

Elenco: Sin Ha-gyoon, Lee Min-jeong, Park Hee-soon, Han Chae-ah, Kong Hyeong-jin, Kim Jeong-nan, Kim Hye-ok, Cheon Ho-jin, Jeon Min-seo.

Resumo

A congressista No Min-yeong, do Partido Verde, é uma jovem idealista, que luta pela causa dos fracos e oprimidos. Quando surge em seu caminho o adversário político Kim Soo-yeong, do partido governante, o conflito é inevitável. Mas aos poucos o casal se apaixona, e eles tentam esconder do mundo seu polêmico relacionamento amoroso.

Comentário

No Min-yeong nunca havia pensado em seguir a carreira política, até a morte da irmã e o esposo, em um acidente de carro. O legado para Min-yeong é a sobrinha do casal, e uma vaga no congresso. Com a ajuda do cunhado, o advogado Song Joon-ha, Min-yeong se elege congressista, pelo minúsculo Partido Verde. Min-yeong e a única colega de partido, a divorciada Go Dong-sook, lutam para levar à diante no congresso seus projetos de cunho social, na maioria das vezes sem sucesso. O partido da situação, o GKP (Great Korea Party) domina a política nacional, de forma conservadora e implacável.


Kim Soo-yeong é membro do partido conservador, mas não é bem quisto pelos colegas, por suas opiniões polêmicas e sua independência. Na verdade, Soo-yeong, ex-advogado e juiz, encontra-se profundamente decepcionado com o mundo sujo da política, e está a ponto de renunciar ao cargo... Até o dia em que entra em conflito direto com Min-yeong. Ao atingi-lo, sem querer, com um extintor de incêndio ao tentar arrombar uma porta, a normalmente tranquila Min-yeong fica conhecida nacionalmente. Depois deste incidente o casal passa a ser alvo constante da atenção da mídia, que fica a espera de um novo ataque. Mas o que a imprensa e os colegas dos dois não sabem é que, aos poucos, a animosidade transforma-se em interesse romântico.

De repente, Soo-yeong se vê animado a continuar na política, ao menos para poder se encontrar com a bela Min-yeong nos corredores do congresso nacional. E Min-yeong resiste o quanto pode ao assédio do colega, mas a paixão acaba falando mais alto. Temendo um escândalo, sem contar com a desaprovação de colegas e familiares, o casal tenta namorar escondido. No entanto, nenhum segredo dura para sempre, e eles terão de escolher entre o amor e a responsabilidade profissional.


Apesar do ótimo elenco e uma produção caprichada, o drama político-cômico-romântico All About My Romance não emplacou entre o público coreano. Talvez o desprezo pelo drama se deva mais a uma fase (os dramas da moda continuam sendo, ao que parece, os melodramas e os sageuk), ou à concorrência acirrada do horário. Seja como for, All About My Romance não merecia a fraca recepção que teve... Se não tem uma estória inovadora ou espetacular, cumpre muito bem seu objetivo de divertir e agradar aos fãs de comédias românticas leves. E além do mais, os dramas românticos voltados para o público jovem-adulto não tem sido muito frequentes. Após uma saturação de comédias adolescentes, é um alívio assistir um drama sobre o romance entre um casal adulto.

Quando concluiu as filmagens do drama médico Brain, o ator Sin Ha-gyoon confessou sua vontade de escolher como próximo projeto uma comédia romântica e (felizmente) ele cumpriu o prometido. É visível a satisfação do ator em interpretar o congressista ‘esquentadinho’ Kim Soo-yeong. E mais delicioso ainda para o público feminino é ver como o deputado conservador fica completamente apaixonado por sua maior adversária política. Na maioria dos dramas românticos, a mulher é quem sofre mais e faz grandes bobagens por amor, mas em All About My Romance, é o personagem masculino o centro da trama. É cômico e ao mesmo tempo enternecedor ver como Kim Soo-yeong, um homem de temperamento forte, que já foi até juiz, sucumbe aos encantos de No Min-yeong, e o quanto ele sofre para conquistrá-la.


Quem não simpatiza com a atriz Lee Min-jeong (Wonderful Radio, Midas, Cyrano Agency) não vai mudar de opinião com este drama. A frieza (timidez?) da atriz com seus pares românticos é bem conhecida – com exceção talvez de sua interação com o ator Gong Yoo, em BIG – e ela demora um pouco a relaxar na presença de Sin Ha-gyoon. Mas, graças à simpatia e tranquilidade do ator, os dois acabam formando um par bonito e muito divertido. E, como previ no post sobre noivas nos dramas, Sin Ha-gyoon consegue quebrar uma maldição antiga para Lee Min-jeong - ufa, que alívio!


Absurdamente, alguns reclamaram da pouca profundidade nos temas políticos... Acontece que este não é um drama político, mas sim um drama sobre o romance entre duas pessoas que, por acaso, trabalham como congressistas. Assim, o enfoque político se volta mais para a sátira e o deboche puro, o que gera boas risadas, principalmente nas cenas com o deputado conservador Moon Bong-sik (ator Kong Hyeong-jin, de Dalja´s Spring), e de sua ‘noona’, a deputada Go Dong-sook (Kim Jeong-nan, muito diferente de seu papel anterior no drama A Gentleman´s Dignity). Uma curiosidade foi ver a a triz Min Ji-ah (como Jeong Yoon-hee, assistente de No Min-yeong), que fez um par romântico inesquecível com Kong Hyeong-jin, no drama Chuno. Infelizmente eles não chegam a se encontrar neste drama.


Mas meu maior prazer foi ver o fantástico ator de cinema Park Hee-soon (The Client, Gabi), fazendo um drama pela primeira vez. Ele está sóbrio, mas encantador no papel de Song Joon-ha, o cunhado (e paixão antiga) de Lee Min-jeong. Tomara que ele volte algum dia como protagonista em outro drama romântico, ou em outro gênero qualquer, pois Park Hee-soon convence em qualquer papel, seja de promotor, policial, ou rei.


A atriz Han Chae-ah (do decepcionante Ooh La La Couple) sofre demais como a repórter Ahn Hee-seon, e sua paixão não correspondida por Kim Soo-yeong ( e anteriormente por Song Joon-ha), mas acaba sendo um personagem mais cômico do que maquiavélico.


Os demais coadjuvantes de All About My Romance são atores conhecidos e respeitados. Temos gente bacana como o sempre elegante Cheon Ho-jin (Midas), como Go Dae-ryong, presidente do partido GKP (Great Korea Party). Ou Kim Hye-ok (a mãe chata de Scent of a Woman), como Na Yeong-sook, a tia de No Min-yeong, e a sobrinha Song Bo-ri (a garotinha Jeon Min-seo). Jin Tae-hyeon (como o hilário assistente Kim Sang-soo) e Jang Gwang (secretário Maeng Joo-ho) completam o elenco.


Se não chega aos pés de um clássico como The City Hall, All About My Romance é uma comédia romântica das mais divertidas, e seus meros 16 episódios passam voando. Uma ótima sugestão para uma maratona televisiva de férias.
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...