26 de mai de 2013

School 2013 (drama, 2013)

 
País de origem: Coréia do Sul
Duração: 16 episódios
Gênero: Drama
Produção: KBS 2TV

Direção: Lee Eung-bok, Lee Min-hong
Roteiro: Ko Jeong-won, Lee Hyeon-joo

Elenco: Choi Daniel, Jang Nara, Kim Woo-bin, Lee Jong-suk, Kwak Jung-wook, Park Se-yeong, Ryoo Hyo-yeong, Choi Chang-yeop.

Resumo

O dia-a-dia de alunos e professores em uma escola secundária de Seul. O desafio dos professores não é apenas ensinar, mas formar moralmente os adolescentes e prepará-los para o futuro profissional, em uma sociedade extremamente competitiva.

Comentário

No final de 2012, a KBS TV resgatou a série de sucesso “School”, veiculada anteriormente entre os anos de 1999 e 2002. Com um elenco de jovens atores promissores, School 2013 foi sucesso de público e crítica.

Tanto pelo ritmo como pelo formato, School 2013 faz lembrar alguns dramas escolares japoneses de viés mais realista e forte conteúdo social.

Mas nem tudo é drama na escola, e o bom humor e simpatia dos personagens nos conquistam instantaneamente. Além disso, felizmente, não existem personagens caricatos, ou seja, nada de vilões e mocinhos. Os adolescentes se comportam como adolescentes, e por passarem a maior parte do tempo na escola, são os professores o alvo principal de seu comportamento imprevisível. No rigoroso ambiente escolar os adolescentes põem à prova a paciência de seus tutores, seja pela falta de interesse de muitos, ou pela exigência de atenção integral de outros poucos.

A sala de aula é dividida, basicamente, entre os alunos que querem apenas passar de ano e concluir o ensino médio, e aqueles que têm como ambição uma vaga em uma boa universidade. Como é natural nestes casos, os jovens de famílias mais estabilizadas são pressionados a estudar incansavelmente (inclusive frequentando cursinhos preparatórios nas horas vagas) para entrar nas universidades mais conceituadas. Muitos pais chegam a escolher a futura profissão dos filhos, contra a vontade dos mesmos. O resultado são adolescentes estressados, confusos e que não tem tempo para aproveitar as alegrias da juventude.


O outro lado da moeda são os jovens carentes, de famílias divididas, que não têm ambição, ou esperança de um futuro melhor.

É neste ambiente ‘inóspito’ que encontramos este grupo de adolescentes, e podemos conhecer uma parte relativamente curta, mas essencial de suas vidas. A aparência externa dos estudantes é igualada pelo uniforme escolar, mas sua condição social e problemas familiares não poderiam ser mais diversos.


No lado oposto temos os professores e a direção da escola. Graças à rebeldia e a falta de interesse da maioria dos estudantes, os professores tentam entrar e sair da sala de aula o mais rápido possível. Para eles, quanto menor o contato pessoal com os alunos, melhor. Mas sempre há aquele professor dedicado, que se preocupa com o lado emocional de seus pupilos. É o caso de Jeong In-jae (Jang Nara), professora de literatura. Para ela, mais do que preparar os alunos para o ingresso na universidade, o dever do professor é trazer educação para a vida. E quando surge na escola um novo professor para dividir com Jeong In-jae o ensino de literatura, o conflito é instantâneo. O professor Kang Se-chan (Choi Daniel, de Cyrano Agency, e Ghost), estrela dos cursinhos pré-vestibulares, pensa exatamente o oposto da idealista Jeong In-jae. Para ele, o importante (e os pais concordam) é preparar os alunos para que entrem com sucesso na universidade. Nada de ensinar poesia, ou perder tempo tentando incutir lições de ética aos garotos.

É claro que a professora Jeong In-jae fica revoltada com a frieza do colega, apesar de admitir que ele é um bom professor. No entanto, o professor Kang Se-chan também vai acabar aprendendo uma ou duas lições sobre a vida, e sobre como ser mais sensível com os problemas de seus alunos.

Isto é que é o bacana deste drama, ver tanto alunos como professores amadurecerem com as experiências diárias na escola. É o tipo de estória que poderia seguir ao infinito, mas que, infelizmente, tem de chegar ao fim. Mas sempre há a chance de que venha uma nova temporada, com novos alunos, e novos professores, porque não há quem não se recorde, com alegria e alguma amargura talvez, dos tempos da escola.

Se o elenco de School 2013 não fosse tão bom, talvez o drama passasse batido. Mas, graças ao carisma destes atores – tanto dos professores quanto dos alunos – o prazer de assistir esta estória é garantido.


Primeiro, a volta de um dos casais mais ‘fofos’ da história dos dramas, Choi Daniel e Jang Nara. Embora eu tenha abominado o drama Baby-faced Beauty, não dá para negar que estes dois juntos são o equivalente a uma combinação de algodão doce com marshmallow – uma overdose de doçura! Jang Nara, mais uma vez, é, bem, Jang Nara – mas muito melhor neste papel que no anterior citado. E Choi Daniel, também, como sempre, é o charme e simpatia em pessoa.


Se falta romance em School 2013, o drama será sempre lembrado por seus bromances, especialmente entre Lee Jong-suk (I Hear Your Voice) e Kim Woo-bin (Gentleman´s Dignity, White Christmas). Os amigos Go Nam-soon (Lee Jong-suk) e Park Heung-soo (Kim Woo-bin) vivem uma estória de amor fraternal das mais ternas e comoventes. Aliás , o tema da amizade nunca foi tão bem retratado como neste drama.
 
 
O rebelde Oh Jung-ho (o magnífico ator Kwak Jung-wook, de White Christmas, e The Devil) e seus parceiros, Kim Dong-seok e Lee Yi-kyung têm uma ligação forte e indestrutível, apesar de aterrorizam os demais colegas de classe.
 
 
No lado feminino, temos a bela amizade entre Park Se-yeong (como a estudiosa Song Ha-kyeong) e Ryo Hyo-young (como a espevitada Lee Kang-joo), que sofrem mais com a competitividade em classe, já que as meninas costumam ser mais responsáveis, e se preocupam mais com o desempenho escolar.

Altamente recomendável este drama escolar, por seu tom emotivo (mas não piegas), e por retratar a realidade da vida, sem descartar a doçura e o idealismo da juventude.

20 de mai de 2013

Cyrano Agency (filme, 2010)


País de Origem: Coréia do Sul
Gênero: Comédia Romântica
Duração: 119 min.
Produtor: Shim Jae-Myung

Direção e Roteiro: Kim Hyeon-Seok

Elenco: Eom Tae-woong, Lee Min-jeong, Choi Daniel, Park Sin-hye, Park Cheol-min, Jeon Ah-min.

Resumo

A Agência Cyrano ajuda as pessoas que estão em busca de um relacionamento amoroso sério, mas são tímidas ou inseguras demais para atingir este objetivo sozinhas. Através de missões secretas a agência investiga a vida do alvo de interesse romântico do cliente, e o prepara para a conquista.


Comentário

Aproveitando o gancho do novo drama da tvN, Love Manipulation: Cyrano (estreia no dia 27 de maio), inspirado no filme Cyrano Agency, relembramos esta bela comédia romântica do cineasta Kim Hyeon-Seok.

Quatro amigos usam sua criatividade única de artistas de teatro para formar uma agência de namoros muito diferente. A agência Cyrano usa toda uma parafernália tecnológica, digna de um filme de espionagem, para ajudar cada cliente a encontrar seu par ideal. Gente solitária, em uma metrópole, que pode contar com a assessoria desta equipe de ‘detetives do amor’. Primeiro o cliente indica o alvo de seu interesse. Então o chefe Byeong-hoon (Eom Tae-woong) e seus agentes Min-yeong (Park Sin-hye), Cheol Bin (Park Cheol-min) e Jae-pil (Jeon Ah-min) investigam o alvo e instruem o cliente sobre como conquistá-lo.

Tudo corre bem, até que um dia Byeong-hoon e Min-yeong encontram-se com um cliente muito peculiar, Sang-yong (Choi Daniel). Ele tem muitas qualidades, mas por algum motivo não consegue arrumar namorada. Na verdade, ele já está interessado em uma mulher, e por isso recorre à agência Cyrano. Mas a situação torna-se dramática para Byeong-hoon quando ele descobre que a mulher em questão é o seu antigo amor, Hee-joong (Lee Min-jeong). O que fazer? Ajudar o cliente a ficar com sua ex-namorada, ou sabotar a missão, e tentar reconquistá-la?

Fica óbvio pelo enredo que a trama é inspirada na famosa obra teatral Cyrano (de Bergerac), e também não é a primeira vez que alguém se apropria dela no cinema. Mas é interessante saber que a primeira versão de Cyrano Agency foi escrita há muito tempo, quando o diretor Kim Hyeon-Seok (When Romance Meets Destiny) estava no exército e, segundo ele, pensava muito sobre namoro, e por que as mulheres de quem gostava não correspondiam o seu interesse. Tempos depois, ao mostrar o roteiro para um produtor, este observou que a estória lembrava muito o clássico Cyrano. A partir daí Kim Hyeon-Seok reescreveu o roteiro, até chegar ao Cyrano Agency que conhecemos.

Não é de estranhar que Cyrano Agency tenha dado origem a um drama de TV, já que o filme tem uma estrutura de esquetes, ou micro estórias, com um tom cômico e ao mesmo tempo romântico muito agradável. Com a entrada em cena de Hee-joong, a ex-namorada de Byeong-hoon, o clima fica bem mais dramático. Não é fácil para Byeong-hoon ver Hee-joong se apaixonar por outra pessoa, ainda mais com a ajuda dele. Será que ele terá coragem de conduzir a amada para os braços de outro? Dúvida cruel!


De qualquer modo, entre Eom Tae-woong e Choi Daniel, a atriz Lee Min-jeong está muito bem servida. E a bem da verdade, minhas cenas favoritas foram as do embate entre os dois personagens masculinos... E mais divertido ainda foi ouvir a dupla de atores cantarem juntos uma das músicas tema do filme. Seria muito bom ver estes dois juntos novamente em outra produção, seja na TV ou no cinema.

Cyrano Agency é um filme simpático, que nos faz sorrir e suspirar, ao nos reconhecermos em muitas de suas estórias de amor, decepção e superação.

15 de mai de 2013

Special Affairs Team TEN (drama, 2011)



País de origem: Coréia do Sul
Gênero: Policial, Thriller
Produção: OCN TV
Duração: 10 episódios

Direção: Lee Seung-yeong
Roteiro: Kim Yoo-joon, Lee Jae-gon, Nam Sang-wook

Elenco: Joo Sang-wook, Jo An, Kim Sang-ho, Choi Woo-sik

Resumo

Uma unidade especial de polícia chamada TEN é designada para investigar assassinatos violentos de difícil resolução. Um ex-policial, e agora professor, Yeo Ji-Hoon é chamado para liderar a equipe. Ele recruta Nam Ye-Ri , uma jovem que possui um poder perceptivo excepcional, Park Min-Ho, um policial novato mas inteligente e dedicado e, finalmente, Baek Do-Sik, detetive com 24 anos de carreira. Juntos eles formam uma equipe imbatível no combate ao crime.

Comentário

Aqueles que acompanharam o drama policial Special Affairs Team TEN em sua estreia, em 2011, tiveram de amargar quase dois anos para poder ver a segunda temporada e (esperamos) a resolução do crime que ocupou o centro da trama. Sendo assim, melhor para quem puder assistir agora os episódios da primeira temporada – ou o que podemos chamar de primeiro ato do drama – e seguir com a segunda parte, atualmente em exibição no canal OCN.

Special Affairs Team TEN é um drama psicológico, uma estória que fala de obsessão, culpa e loucura, disfarçada de série policial. Muitos fãs de estórias policiais tradicionais podem se sentir enganados ao assistir TEN. Mas a surpresa por detrás deste drama tão bem produzido é das melhores. Os crimes complexos, os quebra-cabeças que tanto agradam às mentes brilhantes dos detetives, certamente estão presentes... Mas aqui, o foco principal são os quatro detetives que compõe a equipe TEN. A cada episódio desvendamos um pouco mais sobre a personalidade e o caráter destas pessoas tão especiais. É interessante observar que quanto mais carinho o escritor tem por seus personagens, maior é a chance de que o leitor, ou espectador, também se deixe conquistar por eles, ao ponto de acreditar que os mesmos são reais.

Comecemos pelo chefe da equipe, Yeo Ji-Hoon (o absurdamente sexy Joo Sang-wook, de The Thorn Birds), que há sete anos era um detetive conhecido por sua capacidade de resolver os crimes mais complicados do país. Os colegas costumavam dizer que ele era “o monstro que caça monstros”, tal a sua habilidade em penetrar na mente dos criminosos. Mas, apesar da fama, Yeo Ji-Hoon comete um erro grave, e acaba deixando a polícia, preferindo seguir a carreira acadêmica. A despeito de sua personalidade marcante, Yeo Ji-Hoon é o personagem mais enigmático da estória, e seus subordinados o respeitam, mas ao mesmo tempo não sabem muito sobre seu passado, ou suas motivações presentes.

A detetive Nam Ye-Ri (Jo An) é uma jovem conhecida por sua sensibilidade excepcional. Ela tem o dom de perceber quando uma pessoa está sendo sincera ou não, o que é uma qualidade maravilhosa para um detetive. Mas apesar de seu caráter aparentemente alegre e positivo, Nam Ye-Ri esconde uma tristeza profunda, já que todo poder trás consigo uma maldição irreversível.

O detetive Park Min-ho (Choi Woo-sik, de Rooftop Prince) é um jovem alto e charmoso, muito popular entre as colega policiais. Mas, por detrás de sua disposição juvenil, também temos um jovem com seus traumas de infância. A morte não esclarecida da mãe de Park Min-ho parece ter despertado seu interesse em seguir a carreira de detetive.

Por fim, o personagem mais divertido, carismático e ao mesmo tempo sensível, o detetive Baek Do-sik (Kim Sang-ho, de Moss). No meio policial, os detetives com muitos anos de experiência são conhecidos como ‘cobras’, por desenvolverem uma intuição única para resolver crimes com agilidade e sucesso. Baek Do-sik é um homem simples do interior, que sonha em encontrar uma companheira e se casar, mas para ele é mais fácil prender o bandido mais procurado do país, do que falar com uma mulher.

Algo que chama imediatamente a atenção neste drama é o uso da música tanto de forma climática, como parte da trama. E música de qualidade sempre é um ponto positivo em qualquer produção.

Lee Seung-yeong é um diretor que consegue criar cenários emocionantes, explorando muito bem os ‘ganchos’ da trama, e não apenas com o objetivo de exibir seu talento como cineasta.

O trio de roteiristas (Kim Yoo-joon, Lee Jae-gon e Nam Sang-wook) faz um belo trabalho, especialmente no aspecto psicológico da trama e no desenvolvimento dos personagens principais. É claro que ajuda muito a escalação de um elenco de apoio de alto nível. É comum ver em séries com elenco muito rotativo (como é o caso das séries policiais) certa irregularidade nas atuações. Mas no caso de TEN, destacam-se as ótimas interpretações dos atores secundários em geral.

A primeira temporada de Special Affairs Team TEN é dividida em sete casos policiais. No primeiro, chamado “Tape Murder Case” (episódios 1 e 2), vemos o encontro a princípio casual entre os quatro detetives, que acabarão sendo recrutados para formar a equipe TEN. O que atrai Yeo Ji-Hoon de volta à polícia é um caso que traz semelhanças incríveis com o crime que ele não conseguiu desvendar há sete anos, o assassinato brutal de várias mulheres, que eram sufocadas até a morte, ao terem o rosto coberto com fita adesiva.

Na segunda estória “The Visit From Strangers” (episódio 3), nossos heróis se deparam com um crime brutal e intrigante, quando uma família é encontrada morta, em sua bela casa, em um subúrbio tranquilo.

No episódio 4, “Mimosa”, o detetive Baek Do-sik investiga a morte de um ex-colega, encontrado esfaqueado em um beco. A princípio, o crime parece estar relacionado com o tráfico de drogas, mas logo a investigação se complica. Vários casos de suicídio começam a despertar a desconfiança de que uma mente doentia estaria por detrás destas mortes.

Em Queen (episódio 5) a equipe TEN investiga o assassinato de uma cafetina, cujo bordel de luxo é frequentado por políticos e celebridades.

No dramático “Chaser in the Forest” (episódio 6), o professor Yeo Ji-Hoon e sua equipe tem o desafio de encontrar pistas no caso de uma jovem encontrada morta em uma floresta, no alto de uma montanha.

Um dos casos mais complexos para o equipe TEN é o sequestro de uma criança, em “Kidnapping of Min Chae Won” (episódios 7-8). A detetive Nam Ye-Ri terá seu maior desafio neste crime intrincado e de final surpreendente.

A primeira temporada de Special Affairs Team TEN (episódios 9-10) se encerra (com um final em aberto) com a volta do assassino da fita adesiva, que desafia a habilidade e a experiência de nossos detetives... até a próxima temporada. Segure o fôlego, pois o impacto será grande!

7 de mai de 2013

The Lawyers of Great Republic Korea (drama, 2008)



País de Origem: Coréia do Sul
Gênero: Drama, Comédia Romântica
Duração: 16 episódios
Produção: MBC TV

Direção: Yoon Jae-moon
Roteiro: Seo Sook-hyang

Elenco: Lee Seong-jae, Lee Soo-kyeong, Ryoo Soo-yeong, Han Eun-jeong , Seong Dong-il, Park Won-sook.

Resumo

The Lawyers of The Great Republic Korea é a estória de um empresário envolvido em um processo complicado de divórcio, e a luta de sua advogada para salvar seu dinheiro e sua dignidade perante a sociedade.

Comentário

Analisando em retrospectiva, é intrigante, para não dizer espantoso, que este drama tenha resultado em uma obra tão interessante. Comecemos pela roteirista, Seo Sook-hyang, que na época tinha em seu currículo apenas o melodrama Mr. Goodbye (2006). E seus dois trabalhos posteriores, Pasta e Romance Town, não são o que eu chamaria de ‘brilhantes’. Lawyers of Korea foi o primeiro projeto de Yoon Jae-moon como diretor. Depois disso ele dirigiu A Thousand Kisses (2011), além de trabalhar mais na área de produção (Hyunhaetan Marriage War). O elenco de Lawyers of Korea é excelente, mas os atores principais deste drama têm tido carreiras mais ou menos irregulares em termos de qualidade. O ator Lee Seong-jae, em minha opinião, teve seu melhor desempenho até hoje neste drama.  Esse ator de presença marcante, com seu rosto másculo e anguloso e sua voz rouca, não tem tido muita sorte na escolha de seus projetos – no cinema ele vinha construindo uma carreira sólida, em filmes como Public Enemy, Holiday e Daisy... Até o fracasso estrondoso do fime Natalie, e a volta à TV com o decepcionante Poseidon. Felizmente, Lee Seong-jae parece estar recuperando seu prestígio, com os dramas mais recentes A Wife´s Credentials e Gu Family Book.

Ryoo Soo-yeong também começou no cinema, mas optou por uma carreira confortável, mas medíocre, nos dramas diários (Ojak Brothers, Rascal Sons). Mas afinal, não dá para julgar todas as escolhas de um ator, que muitas vezes tem de lutar para sobreviver neste meio tão competitivo. O mesmo vale para a atriz Lee Soo-kyeong (My Country Calls, Soul Mate) que tem trabalhado incansavelmente, nem sempre fazendo as escolhas mais sábias. Acho que os dramas para TV a cabo em que Lee Soo-kyeong tem atuado são um passo atrás em sua carreira (vide a bomba Color of Woman). Agora ela volta no drama familiar Gold, Appear! (MBC), com seus intermináveis 50 episódios, e ela nem é a atriz principal?! Lamentável.

Toda esta longa argumentação é só para ressaltar o quanto um trabalho em equipe pode resultar em algo positivo. É como dizem “estar no lugar certo, na hora certa”. Então vamos à estória de Lawyers of Korea...

Han Min-kook (Lee Seong-jae) é o presidente de uma grande empresa de investimentos e, naturalmente, um ‘workaholic’, obcecado por dinheiro. Poderoso (tem um fundo de investimentos internacional com seu próprio nome), Min-kook é um ‘tubarão’ do mercado de ações. E é como um homem de negócios respeitado que ele conhece Lee Ae-ri (Han Eun-jeong), uma estrela de cinema, jovem e belíssima. Logo eles se casam, e a fortuna de Min-kook se multiplica, enquanto Ae-ri leva uma vida vazia e solitária, tendo renunciado à carreira de atriz.


Sete anos se passam, até que Lee Ae-ri, farta com a indiferença e as incontáveis traições de Min-kook, e arrependida por ter desistido da fama de atriz, decide pedir o divórcio, não sem antes arrancar uma boa quantia em dinheiro do marido milionário.

Chocado, Han Min-kook acha que a esposa está exigindo milhões de indenização apenas para vingar-se dele. Cego pelo egocentrismo, ele não admite os anos de solidão e humilhações constantes que impôs a ela.

Sem conseguir convencê-la a desistir do processo de divórcio, e percebendo que corre sério risco de perder seu precioso dinheiro, Min-kook tenta atingir Ae-ri com um golpe baixo. Como? Contratando como advogada a melhor amiga da esposa. Woo Lee-kyung (Lee Soo-kyeong) é uma jovem batalhadora que, com muito sacrifício, conseguiu formar-se em direito.


Tudo começou anos atrás, quando Lee-kyung era secretária em um escritório de advocacia e apaixonou-se por um jovem advogado, Byun-hyuk (Ryoo Soo-yeong). O casal morou junto por três anos, até que Byun-hyuk decidiu migrar para os Estados Unidos, repentinamente, partindo o coração de Lee-kyung.


Sete anos se passam, e Lee-kyung luta para manter seu minúsculo escritório de advocacia, quando dois eventos sacodem sua vida. Primeiro, é a volta de Byun-hyuk, reclamando direitos sobre o apartamento que ambos compraram juntos e, para espanto da advogada, querendo voltar ao namoro, como se nada tivesse acontecido.
Mas, ainda mais impressionante, é quando Han Min-kook bate à porta de seu escritório, exigindo que ela seja sua advogada no processo de divórcio contra Lee Ae-ri.


O interessante de Lawyers of Korea é o grande respeito e carinho que a roteirista (e consequentemente o diretor) tem por seus personagens. Este não é um drama de mocinhos e vilões, mas de personagens tridimensionais, com suas qualidades e (muitos) defeitos.


Poder acompanhar o crescimento emocional destas quatro pessoas ao longo da trama é uma experiência incrivelmente satisfatória. Posso avisar que o desenrolar da estória é surpreendente, não querendo entregar os acontecimentos, mas apenas para deixar claro que, ao contrário da maioria dos dramas românticos, os personagens se comportam como gente normal, que passa por experiências de vida marcantes, amadurece e muda. Felizmente, todos mudam para melhor, e dão um passo à diante, mas não sem deixar de reconhecer os erros do passado. Por que é isso que significa amadurecer, de verdade. Só por isso Lawyers of Korea já seria um drama recomendável. Mas, presenciar a ascensão e domínio de um personagem sobre uma trama, é algo que não se vê todos os dias. Algo me diz que Han Min-kook é um daqueles personagens que sai do controle do escritor, e cria vida própria... Só vendo para entender o que quero dizer. Para mim, Han Min-kook é o Mr. Darcy do século XXI.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...