30 de set de 2012

Novidades das Celebridades do Cinema Chinês


Fazia tempo que eu não me atualizava com as novidades dos astros do cinema chinês, especialmente os de Hong Kong. Sem notícias a tempos de um diretor e ator que adoro, Stephen Chow, fui dar uma checada no paradeiro dele e de outros favoritos conterrâneos seus.


O talentoso diretor, ator, mestre do kung fu Stephen Chow assinou contrato de colaboração de sete anos com a ChinaVision Media. Seu primeiro projeto com a companhia (num total de cinco) é o filme Chu Mo Chuan Qi, estrelando Fuuny Shu, Huang Bo e Wen Zhang, e que deve estrear em 2013.


O eternamente lindo Louis Koo se encontra agora mesmo no set de filmagem dos reis do cine de terror, os Pang Brothers. Os irmãos Pang (autores de pérolas como The Eye e Recycle) estão trabalhando em seu novo filme 3D catástrofe, Inferno (Toh Chook Sun Tin).


Além de Louis Koo Tin Lok, fazem parte do elenco Koo Lau Ching Wan, Angelica Lee Sinjie, Goo Jai, Jin Qiaoqiao e Chen Sicheng. Inferno é ambientado em sua maior parte na Tailândia, como já aconteceu em outras produções dos Pang Brothers.


O ator Andy Lau acaba de celebrar 51 anos de idade (27 de setembro). 


E o maior astro do cinema de Hong Kong acaba de fazer uma participação especial no filme Cold War (Hong Jin), co-estrelado por Aaron Kwok e Tony Leung Ka Fai.


A volta da paixão pelo gênero “wu xia”. A bela atriz taiwanesa Shu Qi (The Eye) volta aos cinemas com o filme Assassin (Nip Yun Leung), um projeto que vem sendo planejado faz sete anos pelo diretor Hou Hsiao-Hsien. Fazendo par com Shu Qi, o gatíssimo Chang Chen(The Grandmasters). Ah, e a atriz Shu Qi continua solteira, apesar dos boatos de sua ligação com o colega Stephen Fung.

Enquanto isso, o novo projeto do ator Daniel Wu é o filme Control (Hong Sing Gai) do diretor Kenneth Bi. Ambientado em HK, Control trás no elenco, além de Daniel Wu, a atriz Yao Chen e o ator Simon Yam.


Já o astro Chow Yun Fat (O Tigre e o Dragão) é o famoso general Cao Cao, em mais uma versão da lenda chinesa dos Três Reinos, The Assassins, dirigida por Zhao Linshan, e co-estrelada por Liu Yifei, Qiu Xinzhi, Alec Su e pela japonesa Shizuka Inoh.

E finalmente, é bom fica atento à comédia romântica Lacuna, com Shawn Yue (Initial D) e Zhang Jingchu. O filme se passa num período de 24 horas de encontros e desencontros de um casal na capital chinesa Beijing.
 

27 de set de 2012

Sign (Episódio 17)


Recap (spoilers!)

A promotora Jeong Woo-ji consegue um mandado de busca para o apartamento da jovem Kang Seo-yeon, que nesse meio tempo está caminho do aeroporto para deixar o país, escoltada pelo advogado Jang Min-seok.


No apartamento, o Dr. Yoon Ji-hoon encontra a tão buscada almofada azul, que teria sido usada no assassinato do cantor Seo Yoon-hyung.


Enquanto isso, o Dr. Lee Myeong-han ‘aterroriza’ a Dra. Go Da-kyeong. Primeiro ele a ameaça com demissão, processo, etc, por ela ter roubado uma evidência de um crime de dentro do SNF; em seguida tenta chantageá-la oferecendo um transplante cardíaco para sua irmã doente. Da-kyeong fica claramente tentada a aceitar a proposta do diretor do SNF.


continua...
(clique abaixo!)

25 de set de 2012

Confession of Murder (preview)


Grande expectativa para a estreia, em novembro, do novo filme do ator Jeong Jae-yeong. Confession of Murder (na tradução literal, I am the Murderer) é o segundo filme do diretor Jeong Byeong-gil, que volta ao tema de ação, mas desta vez com uma estória fictícia, de sua autoria. Action Boys (2008), o primeiro filme do diretor Jeong, é um documentário sobre dublês que sonham em se tornar atores de filmes de ação.

Em Confession of Murder, Jeong Jae- yeong assume o papel do detetive de polícia Choi Hyung-gu, enquanto que o jovem ator Park Si-hoo (The Princess’ Man) é Lee Du-seok. O detetive Choi investiga uma série de assassinatos brutais que teriam sido cometidos por Lee. Entretanto, após 15 anos o crime prescreve e Lee publica uma autobiografia descrevendo todas as mortes com detalhes macabros. Neste meio tempo, surge outro assassino em série, colocando em dúvida a verdadeira responsabilidade de Lee nos casos anteriores.
 

No trailer do filme, curto, mas empolgante, vemos Jeong Jae-yeong como um policial definitivamente obcecado em capturar o suposto psicopata Park Si-hoo. E Park Si-hoo, por sua vez, com seu rosto angelical, terá de convencer-nos de que pode ser muito malvado. Não sei se as fãs irão gostar de vê-lo como um vilão, mas admiro o ator por aceitar novos desafios em sua carreira.


País: Coréia do Sul
Gênero: Thriller, Policial
Direção e Roteiro: Jeong Byeong-gil
Elenco: Jeong Jae-yeong, Park Si-hoo, Kim Yeong-ae, Choi Won-yeong, Jang Gwang, Kim Min-sang-I.


24 de set de 2012

The Unjust (filme, 2010)


País: Coréia do Sul
Duração: 119 min.
Gênero: Thriller, Policial, Drama

Direção: Ryoo Seung-wan
Roteiro: Park Hoon-jeong-I
Produção: Koo Bon-han, Kim Yoon-ho, Han Jae-duk


Elenco:

Hwang Jeong-min - Choi Cheol-gi
Ryoo Seung-beom - Joo-yang
Yoo Hae-jin - Jang Seok-goo
Ma Dong-seok - Ma Dae-ho
Cheon Ho-jin – Chefe de Polícia Kang
Lee Seong-min – Chefe da Promotoria
Jeong Man-sik - Promotor Assistente (D.A.) Kong
Woo Don-gi - Lee Dong-seok
Kim Su-hyeon - Soo-il
Song Sae-byeok – cunhado de Cheol-gi
Hwang Byeong-kuk – defensor público

Resumo

Um cruel assassino de crianças está à solta, e diante da comoção nacional, até o Presidente se envolve nas investigações. Quando o principal suspeito morre após ser capturado, e o caso fica em aberto, um oficial de polícia resolve criar um assassino. Embora o detetive Choi Cheol-ki tenha realizado um número impressionante de prisões ao longo de sua carreira, isso não se reflete em promoções. Ele foi enquadrado e rebaixado por outro crime e decide que esta é sua última chance de redenção profissional. Assim, Choi faz um acordo com um chefão mafioso e juntos eles armam uma trama para incriminar um homem inocente pelos assassinatos.

Comentário

Até pouco tempo atrás, Ryoo Seung-wan era um garotão que dirigia os filmes que ele gostaria de assistir em casa com os amigos, ou seja, filmes repletos de ação, pancadaria, e uma boa dose de humor irreverente. Filmes como Arahan (2003) e City of Violence (2006) surgiram da mente criativa de Ryoo, um autodidata que começou sua incrível carreira artística escrevendo, dirigindo, coreografando e até mesmo atuando em seus filmes. Suas aparições iniciais como ator na verdade eram um ‘quebra-galho’ para economizar no orçamento minguado de seus filmes e, logo em seguida, surgiu a ideia de convocar seu irmão mais novo como ator – e o talento realmente está no sangue da família, já que Ryoo Seung-beom hoje é um dos nomes mais conhecidos e respeitados do cinema coreano. E nada melhor do que ter um irmão diretor para lhe proporcionar grandes papeis, em grandes filmes, e The Unjust não foge à regra. Só que desta vez, ao invés do herói atrapalhado de Arahan, Ryoo Seung-beom tem nas mãos um personagem muito mais complexo, um jovem promotor ambicioso e extremamente calculista.


A trama do filme se equilibra muito bem entre o romance policial clássico e o drama no estilo “Godfather”. O gatilho inicial, a investigação de uma série de crimes brutais perpetrados por um único indivíduo, se projeta em várias direções e, como cartas fragilmente equilibradas, os personagens vão caindo, um a um. Não são nada empáticos os personagens deste drama, e este é um ponto que poderia tornar o espetáculo pouco atraente, mas não é o caso, pode acreditar. Hwang Jeong-min (como o detetive Choi Cheol-gi) e Ryoo Seung-beom (promotor Joo-yang) têm talento de sobra para dar dimensão de tragédia grega aos seus personagens urbanos.


Um terceiro personagem essencial, com uma presença marcante, às vezes atraente, outras sufocante, é a própria arquitetura da megalópole, filmada com maestria por Ryoo Seung-Wan. The Unjust é um filme que fica impresso na mente do espectador, tanto por sua beleza, como por sua brutalidade extrema. Imperdível!

Embora Ryoo Seung-Wan nunca tenha sido um diretor descuidado, em The Unjust ele tem todos os recursos disponíveis, em termos técnicos e de pessoal, para aprimorar seu talento natural e ele faz muito bom uso deles. Certamente seu melhor filme até o momento, The Unjust reflete toda sua maturidade como cineasta e é bonito ver seu irmão Seung-beom fazendo parte desta evolução. Que eles façam muitos e muitos filmes juntos no futuro.
 

18 de set de 2012

Doppelganger nos Dramas Asiáticos


Atores e atrizes que parecem ter sido separados no nascimento.
Aposto que já te aconteceu ao menos uma vez, de confundir determinado ator ou atriz com outro, ao assistir um filme ou um drama. E eles não precisam ser “gêmeos idênticos” para nos fazer lembrar um do outro, ou pensar “esses dois poderiam interpretar irmãos/irmãs, ou pai e filho/mãe e filha”. Muitas vezes, apenas um sorriso ou certos trejeitos similares podem nos fazer comparar certos atores ou atrizes.

Já se lembrou de algum? Pois veja alguns exemplos que chamaram especialmente minha atenção nos últimos tempos, e veja se concorda ou não com as semelhanças...
O caso mais recente de doppelganger que encontrei foi entre os atores Joo Won e Koide Keisuke.


Um, o ator japonês Koide Keisuke (dir.) nascido em 1984, e visto em dramas como Perfect Report (2010) e Strawberry Night (2012).

O outro, o jovem Joo Won (1987), ator sul coreano que tem tido uma carreira de enorme sucesso em dramas como Bread, Love and Dreams (2010) e Bridal Mask (2012).
Eles não passariam por gêmeos idênticos, mas quando vi Joo Won no primeiro trailer de Bridal Mask (Gaskital) achei que Koide Keisuke estava fazendo uma participação especial em um drama coreano (pena que não foi o caso, rerê!). De qualquer modo, os dois são lindos, ótimos atores, e vale conferir seus trabalhos.


Acho que não é preciso argumentar muito neste segundo exemplo, pois a imagem diz tudo... Son ye-jin (Chilling Romance, April Snow) e Han Ga-in (Architecture 101) passariam tranquilamente por gêmeas idênticas, e ambas nasceram em 1982. O que o mais impressiona é o sorriso das duas, muito natural e semelhante. A única diferença entre as duas é que Han Ga-in tem a sorte de ter conquistado o coração de certo vampiro promotor (suspiros!).
 
 
Por falar em Vampire Prosecutor, Yeon Jeong-hoon (1978) poderia muito bem ser o “hyung” do ator e cantor do grupo JYJ, Park Yoochun (1986). A semelhança entre os dois está mais no sorriso brilhante e espontâneo, nos lábios carnudos, enfim... Não posso evitar me lembrar de um quando vejo o outro. Parecidos ou não, são dois homens incrivelmente charmosos e talentosos. Veja Yoochun em Sungkyungwan Scandal, ou em Rooftop Prince.
 
Outra dupla que já deu um nó na minha cabeça, ao menos uma vez, foram as atrizes Eom Ji-won (1977) e Yoo Jin-seo (1983). Conheci primeiro a atriz Eom Ji-won, pelo drama The Woman Who Still Wants to Marry. Ao assistir A Good Day to Have an Affair, jurei que era ela, mas tratava-se de Yoo Jin-seo, que apesar de seis anos mais jovem que Eom Ji-won, parecia ter mais idade neste filme. As duas também poderiam ser irmãs, ou ao menos primas em primeiro grau. Veja Eom Ji-won no drama policial Sign, e sua "irmã" mais nova Yoo Jin-seo, na comédia romântica Twelve Man in a Year.

Para finalizar, uma dupla clássica: Kimura Takuya e Yoon Sang-hyeon.
"Super-gêmeos, ativar!"
 
Yoon Sang-hyeon, ator e cantor coreano nascido em 1973. É conhecido por dramas como Secret Garden (2010) e Can´t Lose (2011). Esperamos ansiosamente por sua estreia cinematográfica com Tone-deaf Clinic (2012).

Kimura Takuya (1972), nascido em Tóquio, Japão. Ator, cantor, casado e pai de duas meninas, Kimutaku é uma das maiores celebridades do pop japonês.
Talvez a semelhança impressionante com Kimutaku seja o motivo para as japonesas também adorarem o ator Yoon Sang-hyeon (My Fair Lady), que já gravou canções em japonês, além de fazer com frequência turnês e campanhas publicitárias no país vizinho.

16 de set de 2012

Gabi (filme, 2012)


País: Coréia do Sul.
Gênero: Histórico, Romance.
Duração: 115 min.

Direção: Chang Yoon-hyun (Some, Hwang Jin-Yi).
Roteiro: Kim Eun-jung, baseado no romance Russian Coffee, de Kim Tak-hwan.

Elenco: Joo Jin-mo, Kim So-yeon, Park Hee-soon, Yoo-sun.

Resumo

Tanya e Illyich são um casal de coreanos que vive no interior da Rússia, e que sobrevive do roubo e tráfico de sementes de café, uma iguaria muito apreciada no final do século XIX. Sua volta para Joseon se dá pelas mãos do governo japonês, que os recruta para uma missão perigosa, assassinar o imperador coreano, exilado dentro da embaixada russa.

Comentário

O interesse que Gabi suscita, ao menos à primeira vista, é grande, a começar pelo período histórico descrito, certamente pouco conhecido pelo público ocidental. Além disso, o filme conta com o talento e o charme dos atores Joo Jin-mo, Kim So-yeon e Park Hee-soon.

O primeiro problema do filme começa com a fonte que originou o roteiro, o romance “Noseoa Gabi” (Russian Coffee), um drama baseado em fatos históricos, mas fortemente ficcionalizado. Se o pano de fundo é real – a invasão japonesa e posteriormente russa do Império Joseon, e a tentativa de demover o Rei Gojong do poder – a trama principal é basicamente uma ficção. O interessante de um drama histórico está em poder aprender algo de novo, ou relembrar certos fatos de um período do passado de um país ou de um povo. Resta questionar-se até que ponto é válida a produção de um filme ou livro, por exemplo, sem qualquer valor cultural real.

Dito isso, deixando de lado a pretensão de compreender ou aceitar os fatos relatados em Gabi, pode-se encarar o filme como uma simples diversão. Gabi tem seus bons momentos de ação, suspense e romance, embalados por uma bela fotografia, cenários variados e figurino impecável. Os atores são todos experientes e se esforçam visivelmente em passar o máximo de veracidade aos seus personagens. O personagem mais interessante é o da barista (e espiã) Tanya, interpretado com muita sensibilidade pela atriz Kim So-yeon (Dr. Champ, Gourmet), que está mais linda do que nunca. Aliás, a impressão que fica, ao final, é a de que se o personagem Illyich fosse descartado da história, não faria tanta falta assim. Isto porque o romance entre Tanya e Illyich não parece o bastante para justificar suas motivações, tanto políticas quanto pessoais. A estória poderia perder seu lado romântico, mas, já que se trata de uma ficção mesmo, poderia crescer muito ao se concentrar mais na relação entre Tanya e o Rei. Ou será que ficaria parecendo uma versão coreana de “O Rei e Eu”?! Na verdade minha primeira motivação para ver Gabi foi exatamente a participação de Joo Jin-mo (A Frozen Flower). No entanto, achei que a presença de Joo Jin-mo neste filme foi um grande desperdício de seu talento (e beleza). Outro ator que admiro muitíssimo, Park Hee-soon, está excelente no papel do Rei Gojong.

Finalmente, se alguém sai “por cima” neste filme de poucos méritos cinematográficos é a atriz Kim So-yeon, que soube aproveitar ao máximo as possibilidades de seu personagem, e merece todos os elogios por isso.

11 de set de 2012

Hana Kimi, uma estória que se reinventa


Em um reino distante, chamado Illrya, um jovem duque chamado Orsino ama a bela Lady Olívia que, no entanto, não retribui os seus sentimentos. Após ser vítima de um trágico naufrágio, e sem recursos para sobreviver, a jovem Viola resolve se disfarçar para trabalhar como garoto de recados do duque Orsino. A confusão está arranjada quando Lady Olívia se apaixona por Cesário (na verdade Viola) e Viola por sua vez se apaixona por seu patrão, Orsino.

Essa divertida comédia romântica, Noite de Reis (Twelfth Night, Or What You Will) surgiu da imaginação de um senhor chamado William Shakespeare, por volta de 1601.

Desde então, e por séculos, a curiosidade e o prazer em ler, ou assistir esta estória nunca se esgotou, e se renova a cada geração.

O famoso mangá shojo Hanazakari no kimitachi e, de Hisaya Nakajo, soube aproveitar muito bem este tema da mudança de gênero, e deu origem a um dos dramas de maior sucesso da TV japonesa, com uma primeira adaptação de 2007, e a segunda de 2011. No entanto, a primeira adaptação do mangá foi produzida pela Comic Productions Co., e veiculada  em Taiwan no ano de 2006. A mais nova versão de Hana Kimi é coreana, produzida pela SBS TV, e intitulada To the Beautiful You.


A versão que ganhou maior fama foi a japonesa de 2007. Com um visual e ritmo que se apega muito fielmente ao mangá, este Hana Kimi parece ser o favorito de quem curtiu os 23 volumes dos quadrinhos originais. E também causou um pouco de espanto e até mesmo uma pequena revolta entre estes admiradores o fato da Fuji TV ter investido em um remake do drama após apenas quatro anos da estréia do primeiro.

Entretanto, para quem não tem preconceitos com remakes, ou não assistiu a primeira versão, vale a pena acompanhar o drama Hana Kimi 2011. Num ritmo um pouco menos frenético, mas sem deixar de lado o humor característico do gênero, esta versão é simplesmente encantadora! Com um elenco afiadíssimo, carismático (e enorme), fica difícil superar esta segunda (e última?) versão nipônica de Hana Kimi.
 
 
Uma comédia romântica que explora com humor irreverente as muitas confusões e desentendimentos que a situação da troca de gênero pode gerar. Apesar da cultura pop japonesa (mangá, animê, drama) muitas vezes expor um preconceito, ou uma visão politicamente incorreta, se preferir, com certas minorias, no caso de Hana Kimi, a meu ver, o tema do homossexualismo foi tratato com muita sensibilidade. Ao contrário de To the Beautiful You, que vilaniza certos personagens desnecessariamente, Hana  Kimi, apesar de toda a caricatura, consegue quebrar muitos preconceitos, o que é muito saudável, considerando-se que o público jovem é o alvo principal deste produto.


Twelfth Night (1996), filme: http://imdb.to/DMCog


Hanazakarino Kimitachihe (2006), ou Hua Yang Shao Nian Shao Nu, 15 episódios, Comic Productions Co., CTS TV. Estrelando Ella Chen, Wu Chun e Jiro Wang.

Hanazakari no kimitachi e (2007), Fuji TV, 12 episódios, com Horikita Maki e Oguri Shun (Rich Man, Poor Woman).


Painter of the Wind (2008), drama histórico, SBS TV, 20 episódios, com Park Shin-yang, Moon Geun-yeong e Ryoo Seung-yong.

A jovem Shin Yun-bok se disfarça de homem para entrar na Academia Dohwaseo, e estudar artes plásticas com o famoso artista Kim Hong-do.


You’re Beautiful (2009), SBS TV, com Jang Geun-seok, Park Sin-hye (Cyrano Agency).

Go-mi é uma jovem órfã, que foi criada em um convento. Quando seu irmão gêmeo que é músico desaparece, ela se faz passar por ele como novo membro de uma boy band de sucesso. Assim, Go-mi terá a árdua tarefa de convencer os colegas de que é um rapaz, e de que tem talento para fazer parte da banda.

Um drama voltado essencialmente ao público adolescente, com produção apurada, bom elenco, mas com um dos piores roteiros do gênero.


Sungkyungwan Scandal (2010), drama histórico, romance, KBS2 TV, 20 episódios, com Micky Yoochun (Rooftop Prince), Park Min-yeong, Song Joong-ki (Nice Guy), Yoo Ah-in.

Esta é a estória de Yunhee, uma jovem que depende apenas de si mesma para sobreviver em um mundo que não dá oportunidades justas às mulheres, e de três homens que ela irá encontrar: o intelectual arrogante Seonjun, o rebelde  Jaesin e o cínico Yongha. Para estudar na escola Sungkyunkwan, Yunhee se disfarça de homem e, junto de seus novos amigos, irá ajudar a mudar o destino de seu país.

Hanazakari no kimitachi e (2011), Fuji TV, 11 episódios, com Maeda Atsuko, Nakamura Aoi (Summer Rescue), Miura Shohei.


Ma Boy (2012), Tooniverse, 3 episódios, com Sun Woong, Kim So-hyeon-I, Min-hoo.

Um drama que tinha um potencial incrível, infelizmente desperdiçado por uma produção preguiçosa e pouco inovadora. Mesmo assim, vale fazer uma mini-maratona (é melhor ver tudo de uma vez, ou a tentação em abandonar pela metade será grande). Diferente das muitas estórias de garotas que se transvestem de garotos, em Ma Boy é um jovem que se veste de garota. Hyeon-woo sonha em ser cantor e bailarino de um grupo pop, e para se sustentar enquanto o sucesso não vem, ele é obrigado pelo seu agente a se vestir de mulher e posar de modelo fotográfico. No colégio interno, disfarçado de Irene, ele acaba dividindo o quarto com uma nova aluna, Geu-rim, que por sua vez, entra na escola só para poder ficar mais perto do seu ídolo, o cantor Tae-joon.
 


To the Beautiful You (2012), SBS TV, 16 episódios, com Choi Seol-ri, Minho e Lee Hyun-woo.

A versão ‘hallyu’ de Hana Kimi transforma a estória de uma jovem que se disfarça de homem para poder entrar na mesma escola de seu herói esportivo, numa superprodução, que enche os olhos mais pelo brilho do que pela originalidade ou inovação. No entanto, é mais um produto de qualidade indiscutível da SBS TV, e é quase impossível não se envolver com este drama, mesmo para quem já assistiu alguma das versões anteriores da estória. To the Beautiful You tem seus bons momentos, e tem crescido muito ao longo da temporada. Os personagens secundários de To the Beautiful You não são tão interessantes quanto os de Hana Kimi e, por isso, resta uma responsabilidade muito maior para o casal principal de conquistar e manter o interesse do espectador. Não deixe de assistir To the Beautiful You, mas fica o aviso e a recomendação para dar uma oportunidade a Hana Kimi 2011, que tem uma dose satisfatória de romance, e o bônus (inestimável) da irreverência e questionamentos que o gênero proporciona.

9 de set de 2012

Sign (Episódio 16)


Recap (spoilers!)

Como vimos no final do episódio anterior, O Dr. Yoon Ji-hoon  realiza a autósia no corpo de Joo Seon-woo, ex-agente do cantor Seo Yoon-hyung. A conclusão é de que ele foi assassinado por estrangulamento.


Em outro caso sendo analisado dentro do instituto forense, a Dra. Go Da-kyeong tenta encontrar provas que incriminem o ‘assassino do martelo’. A única evidência forte seria a sobreposição da hora da morte da vítima com a falta de álibi do suspeito. Acontece que os períodos não batem e a médica fica tentada a alterar o relatório para poder assegurar a prisão do suspeito.
continua... (clique abaixo)

5 de set de 2012

Someone Special (filme, 2004)


País: Coréia do Sul
Duração: 110 min.
Gênero: comédia romântica

Direção e Roteiro: Jang Jin

Elenco: Jeong Jae-yeong, Lee Na-young, Jang Yong-nam, Oh Seung-hyeon, Jeong Gyoo-soo, Park Seon-woo.

Resumo

Dong Chi-sung é um homem solitário, que vive apenas para o baseball, até sua carreira começar a ir por água a baixo e ele descobrir que tem uma doença incurável. Quando a vida parece não ter mais nada a oferecer ao atleta, aparece Yi-yeon, uma garçonete tímida que, muito mais que uma fã, é uma pessoa que sempre esteve ao seu lado.


Comentário

Ao contrário que possa parecer pela sinopse, Someone Special não é de forma alguma um drama, embora seu humor seja muitas vezes poético e melancólico.


Mas a diversão já começa na primeira cena, quando Chi-sung (Jeong Jae-yeong) leva um fora da namorada e tem um chilique épico. Como se não bastasse, logo em seguida ele vai ao médico e recebe a notícia de que lhe resta pouco tempo de vida. Em choque, ele sai para beber sozinho no bar onde trabalha a jovem Yi-yeon (Lee Na-young). Ele fica bêbado e mais tarde acorda em um motel, para onde Yi-yeon o levou. Ela comenta timidamente que ele dorme muito tranquilamente (para um bêbado) sem roncar ou se mexer muito. Quando ela sai, ele pensa consigo mesmo “Hoje descobri três coisas que ninguém sabe sobre mim: não tive um primeiro amor, não terei um próximo ano, e sou educado ao dormir”.


Outro diálogo impagável entre Chi-sung e Yi-yeong acontece quando eles vão a uma sessão de cinema. Ela comenta que na sinopse do filme está escrito que o personagem principal morre no final, e Chi-sung pergunta se ainda é interessante ver o filme sabendo como ele termina. Yi-yeong, por sua vez, argumenta que o choque seria muito maior se o personagem morresse de repente.  Um diálogo desses só poderia sair da cabeça brilhante do diretor, roteirista e teatrólogo Jang Jin, em seu estilo único de tratar de temas sensíveis com um toque saudável de humor.
 
 
Todos os filmes de Jang Jin, tanto como diretor, ou apenas como roteirista são altamente recomendáveis, especialmente para quem curte bons diálogos, e a presença regular do alter-ego do cineasta, o magnífico ator Jeong Jae-yeong.



Mais do que uma estória de amor, Someone Special é uma ode à vida. Por que muitas vezes precisamos ser ‘sacudidos’ por um grande evento traumático para dar valor à nossa própria existência? É o que Dong Chi-sung tem a sorte de descobrir ao encontrar alguém muito especial.


Lee Na-young, atriz (1979): Howling (2011), The Fugitive Plan B (drama, 2010), Our Happy Time (2006).

RighteousTies

1 de set de 2012

A Company Man (preview)



País: Coréia do Sul
Gênero: Ação, Drama.
Estréia: outubro de 2012

Produção: Showbox
Direção e Roteiro: Lim Sang-yoon

Elenco: So Ji-sub, Kwak Byeong-gyoo, Lee Mi-yeon, Dong Jun, Lee Kyeong-yeong.

Não gosto muito de falar sobre filmes antes de vê-los, já que muitas vezes grandes expectativas acabam sendo frustradas. Mas baseando-se nas cenas empolgantes do trailer recém lançado de A Company Man, o filme promete!

Como protagonista absoluto do filme temos o ator/cantor So Ji-sub, que acaba de concluir um trabalho televisivo de grande sucesso, o drama Ghost, o qual lhe trouxe os maiores elogios, tanto de crítica como de público.

E So Ji-sub continua no foco da mídia com A Company Man, cujos quatro meses de filmagens se encerraram em dezembro de 2011, e com o lançamento marcado para outubro de 2012.

Lim Sang-yoon, que foi assistente de direção de thrillers como The Cut e Shadows in the Palace, e também do melodrama Old Garden (2006), estreia como diretor principal e roteirista com o filme A Company Man.


Mais uma vez poderemos ver em ação a dupla So Ji-sub e Kwak Byeong-gyoo, (que acaba de se despedir do drama policial Ghost) só que desta vez num clima bem menos amigável.

Além disso, A Company Man marca a volta da atriz Lee Mi-yeon, com seu primeiro filme desde Love Exposure, de 2007.

Sinopse

Hyung-do (So Ji-sub) veste terno e gravata como qualquer funcionário de escritório comum... Exceto pelo fato de que sua verdadeira profissão é assassino profissional. Ele é um atirador, leal ao seu empregador, e reconhecido como o melhor em seu negócio. Mas um dia, para a surpresa de seus colegas e de seus inimigos, ele resolve largar o trabalho sujo por uma mulher (Lee Mi-yeon). Visto como traidor, Hyung-do passa a ser caçado por seus ex-patrões. Será ele capaz de escapar com vida, quanto mais com o seu amor?
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...